Anúncio

Você está cuidando do seu corpo e da sua mente?

0
(0)
1 min de leitura · 

Corpo e mente, você tem cuidado deles?

Esses dias tenho me sentido cansada, um cansaço além do normal.

Não aquele que a gente tem depois de um longo dia de trabalho. É maior, mais denso. É um cansaço nos músculos, nas veias, nos ossos, na alma.

Cansaço de ter que dar conta de muita coisa, de sentir-se sozinha ou perdida, mas mesmo assim ter que seguir em frente.

Cansaço de buscar soluções para aquilo que parece insolucionável. Cansaço de discutir com quem não ouve opinião alheia, com quem se fecha numa bolha e se acha o dono da razão.

Estou cansada de cumprir prazos, de ter de acordar cedo, dormir tarde e ainda assim, o tempo não ser suficiente pra tudo. Sempre falta tempo. Sempre sobram coisas.

Daí hoje me percebi vulnerável. Meu corpo doeu. Gritou. Uma raiva interna se fez presente, quase que sem motivo (achava eu).

Me vi e senti em situações desnecessárias, mas nas quais eu acabei entrando automaticamente e que me feriram.

Porque quando a gente tenta dar conta de tudo, cedo ou tarde se perde, se esquece, se negligencia. E foi o que aconteceu comigo. Entrei nesse sistema automático, que faz a gente simplesmente sobreviver.

Esqueci de descansar de verdade. Achei que só deitar e dormir algumas horas, seria o suficiente.

Achei que fazer 6 refeições ao dia, tomar banho, escovar os dentes e estar bem arrumada, era o suficiente.

Achei que ler, estudar, trabalhar e fazer alguns passeios aos finais de semana era suficiente.

Mas não era. Não é. Nunca será.

É preciso mais que cuidados básicos com corpo e mente. É preciso silenciar. É preciso ouvir-se. Respeitar-se. Observar-se.

É necessário que a gente tenha um tempinho pra se cuidar de verdade. Tipo esse cuidado que a gente tem com o outro, sabe? mas que esquecemos ou achamos que não é importante quando se trata de “nós”.

Esse cuidado requer uma atenção constante. Um silêncio ainda que seja no meio da multidão da praça lotada. Um ouvir-se e respeitar-se em qualquer circunstância.

Eu acho que entendi o recado. Estou à partir de agora mais atenta, mais inteira.

E você, como tem se cuidado?

O quanto este post foi útil para você?

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Share
Published by
Raquel Ferreira

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

2 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

3 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

3 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma"…

3 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no…

3 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez…

3 meses ago

This website uses cookies.