Anúncio
Categories: Síndromes

E esse tal Asperger?

1 min de leitura · 

Hoje é o dia internacional da Síndrome de Asperger, mas você sabe o que é isso???

É uma síndrome com muitas controvérsias e diagnóstico difícil, descrita no meio médico por volta de 1944 pelo pediatra Hans Asperger. Reúne um conjunto de características muito similares ao autismo: dificuldade de interação social, repertório de interesses e atividades empobrecido, estereotipado e repetitivo.

A diferença mais marcante entre as duas síndromes está no fato de que no Asperger não há atraso ou retardo no desenvolvimento cognitivo (da inteligência, percepção, etc) ou de linguagem.

Os meninos são mais atingidos, chegando a 8 garotos para 1 menina e geralmente o desenvolvimento dos sintomas pode persistir até a vida adulta.

A causa da doença é desconhecida, mas acredita-se que seja de origem genética.

Muitos pacientes estão erroneamente diagnosticados e por vezes isso gera um tratamento inadequado e a impossibilidade de melhora qualitativa na vida do indivíduo.

Somente com uma boa e minuciosa avaliação psiquiátrica e psicológica, pode-se reduzir os danos do diagnóstico e garantir uma vida plena e saudável ao paciente.

Vídeos sobre Asperger

Confira estes dois vídeos que falam sobre a Síndrome, o primeiro, uma palestra do TED por uma garota que têm a síndrome e o outro um trecho do filme Mary e Max do diretor Adam Elliot.

 

Referências: Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10. Porto Alegre, Artmed, 1993.

O quanto este post foi útil para você?

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Share
Published by
Raquel Ferreira

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida melhoraria. Olha, preciso dizer, isso…

2 semanas ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida como o oposto da felicidade.…

2 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles não utilizaram todo o conteúdo,…

2 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma" sem nem ao menos estar…

2 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no dia a dia — pelo…

2 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez que vi essa pergunta por…

2 meses ago

This website uses cookies.