sucesso profissional, paraquedas, auge, pulo de paraquedas, desafio

Sucesso profissional e o que fazer depois do auge

2 min de leitura

Ontem eu estava assistindo um vídeo da Jout Jout, que falava sobre o peso do sucesso profissional e imediatamente me veio uma cascata de recordações e revisões sobre a minha carreira e eu quero compartilhar com você.

Se tem uma coisa da qual me orgulho muito é, sem dúvida, da minha trajetória profissional.

Não foi fácil ou tampouco simples viver da psicologia clínica, passei muito perrengue atendendo convênio, trabalhando aos sábados ou até tarde da noite, mas eu tinha um objetivo e ele não era pequeno.

Eu queria antes dos 30 anos ter um consultório na Avenida Paulista, atender executivos e não trabalhar às sextas-feiras.

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

controle, arrependimento, mudança, dúvida

Controle? Reagimos sem querer e agora?

2 min de leitura

Uma das grandes queixas que as pessoas possuem é sobre o fato de conseguir controlar-se ou não. Situações acontecem em nossas vidas e nos deixam fora de controle.

Temos comportamentos de irritação, mau humor, choro e, por vezes, de extremo nervosismo. Estes comportamentos podem ser externalizados de maneira desastrosa, atingindo pessoas que não tem relação com o fato da nossa instabilidade.

Observo muitas pessoas fazendo alguma das afirmações como: “eu gostaria de dedicar mais tempo para os estudos, mas não consigo e acabo estudando somente nas vésperas das avaliações”; “eu queria ser menos ciumento, mas não consigo”; “não consigo me controlar no trânsito”; “demorar na fila do supermercado me deixa extremamente irritado”. Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

autoconhecimento

Autoconhecimento como dever para a mudança

0 min de leitura

O autoconhecimento é a chave para todas as mudanças que a gente busca.

“a crise está dentro de nós” – Sri Prem Baba

E enquanto a gente não entender o que somos e o que precisamos melhorar em nós mesmos, não adianta reclamar do governo corrupto, da bagunça no país, do trabalho chato. É preciso conhecer-se para que a gente se relacione de maneira mais saudável, construtiva e efetiva com o externo. É preciso que haja harmonia em mim, para que eu espalhe harmonia e perceba harmonia ao meu redor.

Vale a pena assistir esse vídeo, onde o querido Sri Prem Baba diz que autoconhecimento deveria ser política pública. Nós do psico.online concordamos plenamente <3

Ps.: Se você quiser iniciar esse processo de autoconhecimento, é só enviar uma mensagem pra gente. Clica no ponto de interrogação que tá aí do seu ladinho direito 😉

Você pode gostar de ler também:

depressão, ansiedade

Depressão, ansiedade: como diferenciar?

2 min de leitura

Há algumas semanas atrás eu já havia respondido essa questão para alguém e agora ela apareceu na nossa Caixa de Segredos. Então, levando-se em consideração que mais gente deve ter essa dúvida, vamos aproveitar pra falar um pouquinho sobre esses dois tipos de manifestações de que algo não vai bem em nós.

Já esclarecemos bastante nesse blog que depressão não é frescura e que merece todo o cuidado necessário, para que a pessoa que está sofrendo com isso reencontre o sentido da vida e viva com qualidade. Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

proatividade, multitarefa, pro ativo, excesso, várias funções

Proatividade, multitarefa e outras cositas más

4 min de leitura

Você até pode ser aquela pessoa com a proatividade a mil, que sai tomando decisões, fazendo e acontecendo por onde passa, mas cuidado para não ser um multitarefa frustrado, ok? Para que isso não aconteça, vamos compartilhar com você algumas informações interessantes.

Primeiro queremos saber. Com que frequência você usa o celular, o tablet e o notebook ao mesmo tempo? Aposto que sua resposta excede uma única vez. Tem sido incrível que a gente desempenhe tantas funções ao mesmo tempo, não? Isso é tão bem visto pelas empresas. MAS…

Isso pode gerar alguns problemas, sabia?

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

gravidez e o amor em dobro

Gravidez: quando dois corações batem juntos o amor é bem maior

4 min de leitura

Do ventre ao coração…

Teste de gravidez positivo. E agora? Basta apenas a preocupação em comprar fraldas, berço, quarto do bebê? Fico pensando: O quanto de investimento emocional as pessoas estão dispostas a desembolsar neste momento?

Ensaio escrever este artigo há algum tempo. Como investigador do comportamento humano, acredito que estamos mais aptos à discutirmos as particularidades da vida quando experienciamos as inquietações humanas, as quais todas as pessoas estão sujeitas.

Cada caso com suas ressalvas, causas e consequências, entendo que o momento agora é de falar sobre as relações que envolvem, no convívio familiar, a geração de uma nova vida, o relacionamento com a gestante e a preparação emocional para a chegada do novo ente na família.

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

feliz, medo de ser feliz, sem medo de ser feliz, felicidade

Medo de ser feliz?

2 min de leitura

Você tem medo de ser feliz?

A gente pode entender o medo de uma cobra, de barata e até de palhaço, mas, medo de ser feliz??? É possível mesmo que alguém possa ter esse tipo de medo?

Um estudo publicado há alguns anos (Journal of Cross-Cultural Psychology) explorou essa questão. Os pesquisadores utilizaram uma escala capaz de medir até que ponto se associava a sensação de felicidade com a possibilidade de que algo mau acontecesse (como consequência de sua felicidade).

Esse estudo traz diversas conclusões. As mais evidentes, estão relacionadas com o medo lógico que pessoas com depressão tem de sentir-se felizes. Esse transtorno provoca um medo nas pessoas com depressão de que a felicidade se acabe e que então estarão ainda piores. É como se preferissem estar tristes do que mais tristes. Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

Respeito é aquilo que nós merecemos. Mas você sabe o que é respeito?

2 min de leitura

“Respeito é bom e eu gosto” e está na boca de todo mundo. Exige-se! Mas do que é que gostamos tanto? Você já pensou alguma vez ” a respeito”?

Há poucos dias fizemos uma postagem no Instagram (@psico.online) que afirmava que “Custa R$ 0 tratar os outros com respeito” e logo embaixo fizemos uma pergunta: o que é respeito?

Esperamos algumas opiniões que sugeriram que é tratar aos outros como gostaríamos de ser tratados ou talvez não fazer aos outros aquilo que não gostaríamos que fizessem conosco. Tem um pouco de diferença nessas frases, mas vamos deixar para outro post. Mas, embora envolva o assunto, não achamos que seja essa a melhor definição para o assunto.

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

introvertido, introversão

Introvertido e suas habilidades fantásticas

0 min de leitura

Numa sociedade que prega cada vez mais a socialização, a importância dos grupos e a extroversão, ser introvertido é quase um pecado capital, mas você sabia que a introversão também carrega incríveis características e que se ela for respeitada pode, inclusive, produzir resultados incríveis na sociedade?

As pessoas introvertidas costumam sofrer bastante, pois constantemente são incentivadas a interagir e a agir de maneira que a elas é muito custoso. Então, hoje a gente trouxe esse vídeo, pra você saber que essas pessoas tem habilidades e talentos incríveis e deveriam ser incentivadas a a celebrá-los.  Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

viver, viver é perigoso, guimarães rosa, riscos, desafios, depressão, tristeza

Viver é perigoso

6 min de leitura

Chegou uma questão da Caixa de Segredos. Uma questão que muito me chamou a atenção, despertando grande interesse em responder à leitora, pois o potencial para autorrealização e a força que essa pessoa demonstrou quando confiou ao Blog seu sofrimento, é digno de atenção e um exemplo de coragem a ser seguido…

O questionamento relata uma profunda tristeza e incompreensão que se sente na leitura; é de uma tristeza persistente, invasiva, que dói na alma; uma tristeza que não encontra palavras para expressá-la, palavras para fazer as pessoas ao redor compreenderem a profundidade dessa dor; uma condição que traz cansaço, solidão, perda do prazer em atividades que, em outros momentos, traziam contentamento. Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

Vamos falar de sexualidade e Interesses sexuais Psico.Online

Descobri um novo interesse sexual e tenho dúvidas…

19 min de leitura

Descobertas e interesse sexual são assuntos que despertam muitos questionamentos e diversas dúvidas, principalmente hoje em dia, quando tudo muda tão rápido e todos têm uma opinião a dar sobre algo, seja no campo pessoal, público ou privado.

Decidir sobre algo envolve ganhos e perdas, isso é fato.

Buscar o equilíbrio entre extremos e ideologias é, talvez, tão importante quanto o fator de descoberta e, diante disso, trataremos desse assunto que envolve muita coisa, com um texto relativamente longo àqueles que você costuma encontrar aqui no Psico.Online. Vai ser algo ao estilo do post sobre Masturbação Feminina, Orgasmo e o prazer pessoal.

Vem com a gente entender um pouco mais sobre o interesse sexual?

Uma pergunta anônima chegou ao nosso ask do Tumblr e gerou essa discussão, olha só:

“Acabei ficando afim de um amigo do trabalho. Não sabia que eu tinha interesse em outros homens. Como lidar com a situação”?

Pouco tempo depois, uma chamada internacional, trazia a seguinte dúvida: “I’m 15 years old but I Don’t love myself. I want be a girl” – “Eu tenho 15 anos e não me amo, quero ser uma garota” (tradução livre).

Outro dia, mais um adolescente procurava informações, pois acreditava ser homosexual e queria entender o interesse sexual e suas relações. Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

Como chamar um deficiente? Aprendendo para incluir.

13 min de leitura

Deficiente ou os deficientes, como chamar uma pessoa que tem deficiência? Pelo nome. Parece pegadinha, mas não é.

Isso é tão importante que esperamos que você leia e divulgue essa post para o maior número de pessoas pois é assim que acabaremos com um preconceito que só precisa de informação para ser resolvido.

Arthur tem uma ou possui uma deficiência.
Ana têm problemas auditivos.
Pedro tem danos e problemas cognitivos.
Regina tem Nanismo.
José tem Síndrome de Down.
Laura tem deficiência intelectual.
Paulo possui uma deficiência visual de 50%.
Beltrano é deficiente pois tem uma limitação física e por ai vai.

Todos tem uma coisa em comum: são seres humanos.

O deficiente é uma pessoas assim como você ou eu, logo, nós deveríamos tratá-lo como tal, mas não é o que acontece.

É importante saber que eles sabem aquilo que têm e qual a deficiência existente bem como suas limitações, e, em muitos casos, o maior problema é você. Meio duro não? Vamos explicar.

O deficiente é uma pessoa como você ou eu.

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

autocrítica no psicoonline

3 dicas para lidar com a autocrítica ou quando o vilão somos nós

4 min de leitura

Autocrítica: Lembra daqueles desenhos onde havia um anjinho e um diabinho nos ombros de uma pessoa, que ficavam opinando sobre o que ela deveria fazer? Pois é mais ou menos o que acontece em nossa cabeça quando nos auto avaliamos: o anjinho pode ser encarado como uma avaliação construtiva que nos impulsiona à mudança, já o diabinho é aquela avaliação destrutiva, que te diminui e não dá espaço para mudanças, quando damos atenção a esse diabinho ele domina o espaço e podemos ter sérios problemas!

3 dicas para lidar com a autocrítica

Você já se pegou lembrando alguma atitude e analisando-a se perguntou: será que foi o certo a ser feito? Depois de pensar e repensar questionou: será que foi boa ou ruim e, se deveria repeti-las ou não.

Esse processo chama-se autocrítica e é de extrema importância para nossas vidas, afinal é ela, que nos ajuda a conviver melhor em sociedade, alcançar nossas metas e aprimorar nossas competências.

Embora esse processo tão importante possa se tornar um problema e nos paralisar, isso só acontece quando passamos a nos julgar com crueldade e nos sentimos culpados pelos erros cometidos (que nem sempre são graves) como se fossem imperdoáveis.

Essa atitude, excessivamente autocrítica, costuma nos desestimular a concluir algum desejo ou sonho, ao mesmo tempo que nos cobra de alcançá-lo, o que aumenta ainda mais a angústia desse processo.

Não percebemos que estamos exagerando e continuamos nesse ciclo, achando sempre que podíamos ter sido melhores ou ter feito diferente, aumentando dia-após-dia nossa cobrança e sofrimento, por isso é muito importante identificar esse problema.

Conhecendo o que a autocrítica pode fazer, podemos mudar isso, fazendo com que ela se torne algo saudável, vamos conferir?

Continue lendo

Você pode gostar de ler também:

coisas que um casal não deveria fazer, casal, namoro, namorados, casamento, relacionamento

10 coisas que um casal não deveria fazer

3 min de leitura

É bastante comum que com o tempo o casal comece a ter alguns costumes inadequados, que no final das contas podem acabar com a relação. Então, pra ajudar na tarefa de manter a relação feliz e em harmonia, a gente decidiu compartilhar com você essa lista de

10 coisas que um casal NÃO deveria fazer

  1. Não prestar atenção suficiente no/a parceiro/a

Se você tem o costume de revisar e-mails ou usar o WhatsApp enquanto o outro está aborrecido no quarto ao lado ou mesmo no canto oposto do sofá, então podemos dizer que vocês não estão juntos. Cedo ou tarde vocês não terão mais comunicação e será muito difícil compartilhar qualquer assunto que seja. Tente prestar atenção suficiente na relação, demonstre que seus sentimentos são verdadeiros.

Você também pode gostar de “Dicas para uma relação saudável”

Continue lendo

Você pode gostar de ler também: