tudo dá errado, bolha, pessoa na bolha

E se a gente parasse de achar que tudo dá errado?

2 min de leitura · 

Tudo dá errado na sua vida. A câmera não liga a chave do carro sumiu o gás acabou o trânsito empacou o novo chefe é um chato o café caiu na minha roupa o primeiro dia de aula foi um fracasso.

Ufa, se a gente ouvir alguém dizendo tudo isso assim, sem vírgulas, sem pausas, vai pensar que a vida tá bem difícil, não é mesmo? Pois saiba que você pode estar agindo sem vírgulas na vida e quando a gente age assim, tenha a certeza, a vida vai parecer bem mais complexa.

O que eu tô querendo dizer é que a gente precisa respirar entre uma coisa e outra, sentir o que se passa ao nosso redor. Observar as coisas positivas, que é claro que elas estão acontecendo, mas se você simplesmente engata a primeira e sai por aí disparando só as dificuldades, não sobra espaço para as coisas boas te impactarem. É como se você entrasse dentro de uma bolha: você e seus desastres diários, juntinhos. Nada mais entra e nada sai.

Vamos fazer um teste, acrescentar pausas na frase anterior e ver o que mais cabe ali.

A câmera não liga, (vou colocar as baterias novas, se não funcionar, posso usar o celular mesmo). A chave do carro sumiu, (qual a última vez que me lembro de tê-la visto?… ah bom dia pra você também seu João, que bom que está melhor). O gás acabou, (vou ligar pra Carol, ver se posso jantar lá. Oi Carol, posso jantar aí hoje?… Ah que bom, eu levo o suco, então. Assim a gente aproveita, coloca o papo em dia e já mata essa saudade).

As partes em negrito são as coisas que quando paramos um pouco, ao invés de só reclamar. podem nos acontecer. São exemplos simples de coisas boas que a gente nem percebe, mas estão ali, prontas para nos alegrarem.

A gente precisa aprender a reclamar menos, a dar menos ênfase aos contratempos, porque quando agimos assim impedimos nosso cérebro de captar as informações positivas e começamos a ter não só pensamentos ruins, mas atitudes desordenadas. Ficamos violentos, irritados, exaustos.

Faça um teste, ao se deitar, avalie como você agiu desde a hora em que abriu os seus olhos. Sua atitude foi positiva ou você já se incomodou porque precisava ir pro trabalho? Almoçou tranquilamente ou enquanto comia mexia no celular e resolvia problemas? Você olhou pro colega do lado e deu bom dia ou simplesmente passou sem percebê-lo?

Lembre-se: pequenas mudanças nas nossas ações podem modificar o nosso dia e fazer a nuvem negra de cima da nossa cabeça ir passear em outros cantos 😉

O quanto este post foi útil para você?

Clique nos corações para votar!

Média / 5. Contagem de Votos:

Sentimos muito por este post não ter sido útil para você.

Nos diga como melhorar as postagens

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Participe, queremos ler o que você tem a dizer