por que o haiti não aparece na mídia, furacão haiti, furacão flórida, haiti, desespero, devastação

Por que o Haiti não aparece na mídia?

1 min de leitura · 

Há alguns dias o furacão Matthew vem causando um verdadeiro estrago no Haiti, mas para a nossa surpresa ou espanto, sei lá, não rolou hashtag relacionada à isso, ao contrário do que ocorreu no ano passado pelo atentado em Paris #PrayForParis.

Mas por que o Haiti não aparece na mídia?

Claro que existem inúmeras respostas, mas uma delas nos faz pensar em como muitas vezes somos hipócritas e como precisamos ter cuidado para não endurecer.

Cadastre-se para receber nossas notícias, assine nosso blog
ou faça uma pergunta sua na Caixa de Segredos.

É claro que as vidas tiradas em Paris eram importantes, claro que isso causou dor, mas colocar na sua timeline a tal # parece que acrescenta um valor social à sua vida, pare pra pensar.

As vítimas do Haiti, pobrezinhas, já estão acostumadas com o perrengue diário, desde 2010 quando um terremoto atingiu duramente cerca de 3 milhões de pessoas e antes mesmo disso, pela condição econômica precária do país.

É aí que começam as questões:

Parece que um pedacinho de nós, que mora lá no subconsciente, se atreve a pensar “os haitianos já estão acostumados com a dor” e para nisso.

Para porque nos permitimos endurecer. Endurecemos por medo de sofrer, por preguiça de ajudar, por falta de refletir.

Endurecemos sem perceber e quando nos damos conta, passamos sem notar a dor do outro.

Passamos e não enxergamos o mendigo, passamos e não vimos o choro, passamos e não vimos a vida que se foi. Passamos, apenas!

Hoje te convidamos a refletir à quantas anda a sua empatia, a sua disposição em ajudar, a sua fé na vida e no amor.

Te convidamos a ser mais humano, a ser mais generoso, a ser mais perceptivo e ativo. Te convidamos a (re)agir.

Que os haitianos recebam todas as nossas boas vibrações, pra poderem passar por mais essa batalha e se você quiser ser mais ativo, também pode colaborar com a campanha da UNICEF que visa ajudar as crianças, principalmente.

Que nosso coração não se endureça e que o mundo seja um só, unido pela esperança de dias melhores.

#PrayForHaiti

O quanto este post foi útil para você?

Clique nos corações para votar!

Média / 5. Contagem de Votos:

Já que você achou este post útil, compartilhe ele nas redes sociais.

Acompanhe-nos nas redes sociais

Sentimos muito por este post não ter sido útil para você.

Nos diga como melhorar as postagens

Você vai gostar de ler também:

Raquel Ferreira
CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

7 thoughts to “Por que o Haiti não aparece na mídia?”

  1. Posso dizer sem medo de errar que essa indiferença vem da falta de lucro para com o capitalismo global e mais selvagem que nunca, a falta de contribuição, mesmo com mão de obra barata, que o Haiti não tem, mesmo que seu povo seja poliglota, seu território não é rico em minérios que possa ajudar o capitalismo técnico científico informacional, sem falar que é uma pequena ilha na América Central sem grande destaque coletivo e que já derrotou e expulsou de seu território três grandes potências atuais, só que no passado, como França, Inglaterra E. U.A. do Norte, que os colonizava na forma mercantilista. Agora imagina, quem vai se importar com pobres, negros e revoltosos, sem glória na história dos grandes países e que só tem problemas para serem resolvidos? Povos que já praticam a solidariedade e têm em sua história amor ao próximo e se solidariza com a dor alheia, são poucos mas tem

Participe, queremos ler o que você tem a dizer