alzheimer, velhinhos sentados, idosos

Como lidar com o Alzheimer. Confira essas 3 dicas

2 min de leitura · 

Nessa semana compartilhamos aqui o curta “Objetos perdidos”, que retrata com muita delicadeza a questão do Alzheimer dentro de uma relação.

Hoje vamos compartilhar essa reflexão, sobre 3 grandes lições que devemos aprender e levar pra vida.

Como vimos, o curta faz referência aos efeitos devastadores das demencias, um problema que segundo a OMS afeta 47 milhões de pessoas em todo o mundo e a cada ano registra 9,9 milhões e novos casos.
E ainda que perder a memória seja algo muito triste, porque junto a ela não perdemos somente nossa identidade, mas também nossas recordações e, de certa forma, as pessoas que amamos, este curta nos permite ver a vida desde outra perspectiva.

Clique e fale com um Psicóloga Online agora1. Paciência, paciência, muita paciência.

As vezes, quando acreditamos que tudo está perdido, é necessário somente insistir. Muitas das situações que enfrentamos na vida requerem uma grande paciência, até que possamos alcançar a solução. É preciso aprender a conviver com certas doses de incertezas e não cair na armadilha dos achismos, que só servem para provocar tensão e ansiedade. Claro que não é fácil, ninguém disse que seria. Junto a paciência é preciso acrescentar alguns outros ingredientes, como a perseverança e a esperança.

2. As vezes, não são as grandes coisas, mas as pequenas, que fazem com que tudo valha a pena. 

Na vida nos preocupamos muito em conseguir grandes coisas, perseguimos grandes projetos e acreditamos que não seremos felizes até que os alcancemos, mas à medida que nos acercamos da terceira idade nos damos contas de que são as pequenas coisas, as que realmente contam e essas, sempre as tivemos ao alcance das mãos, mas não soubemos valoriza-las e aproveita-las em suas justas medidas. Não se trata de renunciar seus sonhos, você deve lutar para conquista-los, mas se assegure de aproveitar a vida enquanto os busca.

3. A realidade de quem a gente quer bem, nem sempre coincide com a nossa, buscar os pontos em comum pode ser uma viagem maravilhosa.

Nossa realidade é única, assim como a das pessoas que amamos. Na realidade nós não vemos o mundo como ele é, mas como nós somos. Por isso, não podemos obrigar ninguém a satisfazer as nossas expectativas, assim como não podemos satisfazer as de ninguém. O segredo está em encontrar um maravilhoso meio ponto, onde ambas as ideias confluam. A base das relações saudáveis e maduras é precisamente ser e deixar ser, encontrando pontos em comum para crescer. Trata-se de uma pequena mudança de perspectiva que transforma tudo.
Retirado do blog Rincón de la psicología (traduzido e adaptado)

Veja mais sobre Alzheimer

O quanto este post foi útil para você?

Clique nos corações para votar!

Média / 5. Contagem de Votos:

Sentimos muito por este post não ter sido útil para você.

Nos diga como melhorar as postagens

Você vai gostar de ler também:

Psico.Online

Psico Online - Psicólogas e Psicólogos 24 horas rápido, fácil e descomplicado. Psicologia Online para acolhimento psicológico. Somos uma plataforma de acolhimento psicológico 24 horas, ligando clientes e psicos, de maneira fácil e descomplicada. Reunimos profissionais da Psicologia, psicólogas e psicólogos, que oferecem orientação psicológica a fim de facilitar o acesso de pessoas que buscam auxílio profissional psicológico, em questões emocionais, de relacionamento, profissionais, autoconhecimento e saúde mental, de forma simples e rápida.

Participe, queremos ler o que você tem a dizer