posicionamento estranho no relacionamento

4 grupos de relacionamento: você cuida de todos eles?

4 min de leitura · 

Relacionamento: O convívio com as pessoas é algo que pode ser muito prazeroso, estarmos perto de pessoas que nos acolhem, sentirmo-nos naquela sensação de calor humano, sermos abraçados física e emocionalmente.

Assim temos uma noção do que é um relacionamento. É o ato de relacionar-se, estabelecer conexões, interagir com as pessoas, vincular-se de uma maneira afim. É a capacidade de conviver e comunicar-se com o outro.

Através das relações, aprendemos, compartilhamos e trocamos muitas experiências. Os relacionamentos significam uma ligação afetiva, profissional ou de amizade entre as pessoas, que se unem com os mesmos interesses e objetivos.

Mas o que é o relacionamento para você?

Clique e fale com um Psicóloga Online agoraRefletindo sobre eles, é importante ressaltar que existem quatro grupos principais, que são: os profissionais, os de amizade, os familiares e os amorosos.

Você está bem com todos eles na sua vida? O que seria cada um e estar bem neles?

O Relacionamento Profissional

É a relação entre os profissionais, como lidamos com os nossos colegas, chefes, sócios, todos envolvidos em um ambiente de trabalho.  É fundamental a harmonia em um ambiente corporativo e cooperativo.

Estar disposto a trocar e compartilhar experiências. Conviver com credos, jeitos de pensar e de agir diferentes, compreender e discordar.

Mas será que sempre é fácil?  Pense e reflita!

As trocas de experiências são possíveis através do relacionamento interpessoal, que é a relação social, ou seja, um conjunto de normas comportamentais que orientam as interações entre os membros da sociedade.

Isto contribui para um bom ambiente de trabalho, consequentemente resultando no aumento da produtividade.

O Relacionamento de Amizade

É a relação entre as pessoas que têm carinho e afeto por outra, que possuem sentimentos de lealdade, simpatia, proteção, boa vontade e estima recíproca.

A amizade verdadeira deve fluir naturalmente, não deve ser imposta.

Os amigos compartilham assuntos pessoais, esperando a opinião do outro e sempre estão prontos para ouvir e dar uma palavra de conforto. E quem nunca precisou de um ombro amigo para desabafar?

A amizade verdadeira está centrada em algumas características, como: prazer, aceitação, confiança, respeito, ajuda mútua, confidência, compreensão e abertura para grandes trocas durante deliciosas conversas.

O Relacionamento Familiar

É a relação entre as pessoas, que possuem um grau de parentesco entre si, podendo ser consanguíneo ou não.

As relações familiares são primordiais para um bom desempenho pessoal. Será que você já passou por algum conflito familiar? Com uma base familiar sólida, fica mais fácil lidar com os conflitos familiares, que são inevitáveis, porque as pessoas são diferentes, reagem de diversas maneiras em situações similares da vida.

Os vínculos afetivos devem ser a base da estrutura familiar em busca do equilíbrio das relações.

Relacionamentos Amorosos

Deixei para o fim, o que dá mais margem para vários assuntos: Relacionamentos Amorosos, o que será esse?

É a relação íntima estabelecida entre duas pessoas que se amam ou que estão envolvidas afetivamente. Esse relacionamento requer interesse, disposição e vontade de ambos.

O importante é que os amantes estejam sempre se esforçando para melhorar e aperfeiçoar sua união.

Quer saber se o seu relacionamento está bem ou se você vive em algum que não é tão bom assim?

Veja os outros textos sobre relacionamento:

E você já sofreu em seu relacionamento amoroso? Quem nunca sofreu por um amor?

Em várias etapas das nossas vidas podemos sofrer nas relações amorosas.

Adolescentes sofrem muito com os relacionamentos amorosos. A adolescência é uma fase de muitos conflitos, onde os jovens estão tentando se encontrar.

Nessa etapa da vida existem muitas dificuldades em todas essas formas de relacionamento, pois é nela que estamos exercitando o atar e dissolver relacionamentos.

As dificuldades mais citadas pelos jovens são: relacionamento com os pais, falta de amigos, bullying, ataques verbais, sexualidade, pressões escolares, aparência visual, uso excessivo das redes sociais, drogas, conflitos de gerações, limites e muitos questionamentos internos.

Nesse caso é fundamental o diálogo com os pais – o relacionamento familiar, mas com a fala e muita escuta ativa, compreendendo as limitações e necessidades.

Na vida adulta também passamos por conflitos nos relacionamentos. O importante é saber como lidar com essas dificuldades e descobrir a melhor resolução para elas.

Vá em busca da felicidade em seus relacionamentos! E se o nó estiver muito apertado e você perceber que precisa de ajuda com algum desses relacionamentos, procure um psicólogo, eu e todo profissional estamos sempre prontos a ajudar você com eles.

 


Sobre a ilustração desta postagem:

Strange positional relationship

Speed drawing (Strange positional relationship)⇒www.youtube.com/watch?v=BwB3WF…
facebook⇒www.facebook.com/NAGAHIDE
YouTube⇒www.youtube.com/user/nagahide1…

NAGAI HIDEYUKIⒸ


 

O quanto este post foi útil para você?

Clique nos corações para votar!

Média / 5. Contagem de Votos:

Sentimos muito por este post não ter sido útil para você.

Nos diga como melhorar as postagens

Paula Lúcia de Freitas Espíndola

Psicóloga clínica CRP 06/50889 e Psicopedagoga realiza atendimentos online e presenciais com crianças, adolescentes, adultos, grupos e casais. Graduada pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU) na área Clínica, Preventiva, Educacional e Organizacional, em 1994. Pós graduada em Psicopedagogia Clínica e Institucional pela UNINTER, em 2014. Artigo publicado sobre "Avaliação Psicopedagógica Clínica". Trabalha com vários transtornos de ansiedade, como depressão, pânico, fobias, TOC, bipolaridade; além de TDAH, entre outros. Proponho muito empenho e dedicação aos pacientes com muito estudo e aprofundamento. Atendo na Rua Dr. Luiz Migliano, 1110 - cj. 101 - CEP: 05711-001 - Portal do Morumbi - São Paulo - SP - Fone: (11) 3749-0128

Participe, queremos ler o que você tem a dizer