Arquivo da tag: #SaúdeMental

saúde e bem estar psico.online

Saúde é o que interessa, para todo resto, não devemos ter pressa.

2 min de leitura

Saúde: Ao olhar à minha volta , percebo que maioria das pessoas leva uma vida bastante atribulada e corrida, repleta de obrigações e compromissos a serem cumpridos.

Tais compromissos demandam tempo e dedicação excessiva, resultando em um grande desgaste físico e mental que transformam todo nosso funcionamento psíquico e fisiológico.

Há muita gana para chegar até algum lugar, focando sempre na aquisição de bens que satisfazem um desejo momentâneo no qual nem sempre conseguimos identificar um fundamento e que, se  concretizamos, devemos questionar:  tal desejo nos fará felizes?

Queremos tanto ter e ser alguma coisa que neste processo desenfreado, acabamos perdendo o foco e a atenção à nossa saúde — física e também a mental.

Percebo que fica cada dia mais comum não priorizarmos o autocuidado e a nossa saúde por não conseguirmos dar conta da carga excessiva que carregamos, devido às exigências.

Exigências essas que em nada contribuem para nosso estado de bem estar e, nem permitem que tenhamos qualidade de vida, porque na rotina cheia de compromissos, não conseguimos priorizar o que realmente importa: a nossa saúde geral.

Precisamos tomar consciência de que a busca do equilíbrio entre o corpo e a mente nos beneficiará, para que levemos uma vida mais plena e satisfatória. Continue lendo

saúde mental, física, espiritual

Saúde mental, física, espiritual

2 min de leitura

Saúde mental, física, espiritual, como andam as suas?

A falta de saúde mental, física, espiritual mostra o que você precisa aprender e fazer para atingir o equilíbrio.

A saúde, que significa equilíbrio, sintonia, é algo muito importante para o ser vivo e vai muito além de uma manifestação física, concreta. Pode manifestar-se na alma, no humor, de maneiras bem mais subjetivas.

Saúde é vida, em todos os aspectos e é um presente, que damos à nós mesmos, quando nos cuidamos.

Continue lendo

depressão infantil, criança triste, tristeza, criança deprimida

Depressão infantil

3 min de leitura

Depressão não é só coisa de adulto. A depressão infantil também é uma realidade e faz muitas crianças sofrerem. Na infância a depressão vem acompanhada além da tristeza, de uma série de sintomas, como mudanças bruscas de humor, birras por qualquer motivo, alto nível de ansiedade e outras coisas mais.

Diferença entre depressão infantil e tristeza

A depressão infantil é uma desordem caracterizada por uma alteração no estado de ânimo, alterações identificadas na escola, em casa e na comunidade, mas é preciso saber identificar quando há uma depressão e quando a criança está somente triste, porque muitas vezes podem estar tristes, como os adultos e isso não significa que estejam deprimidas.

Para afirmar que está verdadeiramente deprimida, essa criança precisará passar por um médico, que a identifique corretamente. A criança deverá estar muito triste, apresentar uma série de alterações que se notam no colégio, entre os amigos, com os pais e em todo lugar, por um período relativamente longo. Uma criança deprimida passa o dia todo triste, deixa de fazer suas atividades, perde o apetite, fica apática…

A depressão poderá se apresentar em 3 níveis, de acordo com o tempo e os sintomas: leve, moderada ou grave. E é preciso saber também, que os sintomas variam de acordo com a idade.

Em que idade as crianças podem apresentar sintomas depressivos?

Não existem dados exatos à respeito de prevalência de depressão em crianças, mas podemos identificar algo como entre 1 e 3% entre a primeira infância. É verdade que podemos ver muitas crianças tristes, mas não necessariamente deprimidas e é exatamente aí que se precisa ter cuidado. Já entre os pré-adolescentes a taxa aumenta um pouco e varia entre 3 e 9%, visto que estão passando pela puberdade e por algumas mudanças bastante significativas.

Principais sintomas da depressão infantil

A depressão infantil apresenta as mesmas características que a dos adultos, mas com algumas diferenças quanto a expressão.

  • A duração deve ser de no mínimo duas semanas e não pode estar associada ao uso de nenhuma substância.
    • Humor deprimido: as crianças e os adolescentes, podem apresentar um estado de ânimo deprimido ou irritado. Os menores geralmente não são capazes de descrever como se sentem e então queixam-se de sintomas físicos imprecisos, tem uma triste expressão facial, escassa comunicação visual. A irritação pode se manifestar em condutas agressivas ou ações que demonstrem hostilidade ou raiva. Nos adolescentes os transtornos de ânimo são mais parecidos com os dos adultos.
    • Perda de interesse no ambiente, incapacidade para desfrutar de atividades rotineiras, na escola, com os amigos ou em casa.
    • Falta de energia: não brinca, não quer ir à escola, em casa está sempre desanimado, não fala…
    • Perda de confiança e autostima, sentimentos de inferioridade.
    • Auto-desvalorização: nas crianças podemos perceber sentimentos de culpa excessiva ou inapropriada.
    • Ideias autodestrutivas: tanto nas crianças como nos adolescentes se podem observar sinais não verbais de condutas suicidas, como realizar ações em que corre riscos, as vezes, como se fosse um jogo, ou adotar comportamentos auto-lesivos, como cortar-se, bater-se ou arranhar-se.
    • Incapacidade para concentrar-se ou tomar decisões, que no caso das crianças se traduz em problemas de conduta ou baixo rendimento escolar.
    • Atividade psicomotora agitada o inibida.
    • Alterações de sono.
    • Variações de peso (nas crianças geralmente ocorre aumento).
    • Queixas somáticas (dor de cabeça, barriga, pernas…). Este critério é bastante frequente nas crianças menores.

Ao menor sinal de depressão infantil, procure ajuda, vá ao psicólogo, psiquiatra e ajude a criança a reencontrar o bem-estar 😉

Referências
Depresión Infantil
La depresión infantil