me arrependi de ter filho, arrependimento, maternidade, paternidade, criação, bebê, criança, rejeição

Me arrependi de ter filho e agora?

2 min de leitura · 

Me arrependi de ter filho e a sociedade me julga por isso, não é verdade?

Quantas pessoas eu já ouvi, dizendo que a maternidade não foi bem o que se esperava, que depois do nascimento havia uma insegurança e um arrependimento indescritíveis, mas essas falas, são quase feitas como num confessionário, porque não se pode falar isso, quase nem se pode pensar, não é mesmo?

Clique e fale com um Psicóloga Online agoraA maternidade é algo bonito, interessante, ou não. Até que você passe por ela, tudo o que você sabe à respeito são ideias, fantasias e ideais, que nem sempre (ou quase nunca) se farão realidades.

Arrepender-se de ter tido um filho é normal. Arrepender-se de casar, de comprar um carro, também. A diferença é que com o filho não dá pra devolver e você vai precisar se adequar à essa nova realidade, que durará para o resto de sua vida.

Arrepender-se de ter tido um filho também não significa que você não o ame ou que não consiga estar feliz por ser mãe.

Afinal de contas, arrependimento significa, segundo o dicionário:

1- Ato ou efeito de arrepender-se; pesar sincero por algum ato ou omissão que se tenha praticado; compunção, contrição.

2- Negação ou desistência de coisa feita ou empreendida no passado.

Então, não diz aí que se fica proibido de amar quando se arrepende. Uma coisa nada tem a ver com a outra.

Leia também “Sobre ser mãe e padecer no paraíso”

O ato em si pode causar arrependimento e se aquela mãe ou pai pudessem voltar atrás, não cometeriam a mesma atitude. É só isso, assim, bem simples.

O que acreditamos que não possa acontecer é um julgamento desmedido e cruel, que faz com que os pais e principalmente as mães, escondam esse sentimento e precisem lidar sozinhos com todo o turbilhão de emoções, medos e até vergonha pelo que sentem.

Sejamos compreensivos e mais verdadeiros, precisamos falar sobre o que sentimos e sobre o que se passa em nós, pra que assim, fique mais fácil adaptar-se e achar um caminho sem sofrimento para a criação dessa criança.

Todo sentimento guardado cria um conflito dentro de nós e se não pudermos falar clara e abertamente sobre esse tal de arrependimento, é bastante possível que no futuro enfrentaremos alguns sintomas ou desafios desagradáveis.

Mães e pais que se sintam arrependidos, não se calem, procurem ajuda para entender o que sentem, como lidar e se empoderem, para que o peso da responsabilidade agora real, não os transforme em prisioneiros do medo.

 

Você vai gostar de ler também:

Raquel Ferreira
CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

One thought to “Me arrependi de ter filho e agora?”

Participe, queremos ler o que você tem a dizer