Anúncio

Vida nova e a árvore de natal

0
(0)
1 min de leitura · 

Dia 06 de janeiro é o dia oficial para desmontar a árvore de natal, dia dos Reis Magos, final da primeira semana útil do ano novo e primeira semana da vida nova.

Pelo menos é o que desejamos com todas as nossas forças, vida nova!

Atribuímos ao ano novo uma estranha capacidade de mudança. Como se uma data tivesse um poder mágico, quase sobrenatural, de fazer com que a gente consiga tudo aquilo a que nos propomos, a partir de primeiro de janeiro.

E, ainda que possa ser algo tentador, verdade seja dita, não tem o menor fundamento.

Nós que nos dedicamos a ajudar as pessoas a conseguirem os seus objetivos, sabemos que, dentro de umas poucas semanas (ou dias), teremos muita gente de mau humor porque não conseguem aquilo que se haviam proposto.

Leia também: E se a gente fizesse uma auto revolução? 

Por isso, sempre dizemos que não é uma boa ideia traçar GRANDES objetivos nessas épocas. Ainda que seja tentador. Mas, acreditem, melhor tentar pouco a pouco. Com passos acessíveis, nas primeiras semanas, fazendo um acompanhamento sensível e cuidadoso daquilo que queremos conseguir.

O truque para conseguir as mudanças vem de uma flexibilidade rigorosa. Se trata de aceitar que traçamos algumas metas, que necessitarão de ajustes, e faze-los. Só assim conseguiremos o que desejamos. O outro caminho, o dos objetivos inalcançáveis, grandiosos demais, que correspondem a motivações momentâneas, pode conseguir precisamente o contrário: frustração. .

Estar consciente disso nos proporciona um plano muito mais pessoal, mais adaptado a nossa realidade e características pessoais. E com muito mais probabilidade de êxitos!

Minha última recomendação para essas mudanças, e que as valida para sempre, é contar com a ajuda de profissionais. É muito tentador seguir os conselhos que lemos ou seguir as dicas de alguém sem a qualificação adequada, que nos vendem quilos de de novos projetos pessoais, mudanças milagrosas… Mas acredite, a melhor companhia para a mudança que queremos é o psicólogo, especialista nesse tema 😉

Retirado de Cámbiate (traduzido e adaptado)

O quanto este post foi útil para você?

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Leave a Comment
Share
Published by
Raquel Ferreira

Recent Posts

Informação e imaginação na nossa ansiedade

Informação e imaginação tem ações concretas na nossa ansiedade? O quanto nossas informações e o…

1 mês ago

Vão se os anéis, ficam-se os dedos

Cá com meus botões, pensando, enquanto procuro uma entrevista de Noam Chomsky, onde ele fala…

2 meses ago

Criticar o outro, fala mais sobre você.

"Nós não vemos as coisas como elas são, nós as vemos como somos ", disse…

3 meses ago

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

5 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

6 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

6 meses ago

This website uses cookies.