Arquivo da tag: #Suicídio

13 reasons why, hannah baker, clay, suicídio, cvv, bullying

13 Reasons Why e 13 reflexões sobre a série

6 min de leitura

Oi. Aqui não é a Hannah Baker. Não precisa ajustar… opa, peraí, precisa ajustar, sim. Seria muito bom se você pudesse se permitir ajustar algumas ideias à respeito de bullying, suicídio, relações familiares, amizades, empatia…

[SPOILER ALERT] não tem como não dar alguns spoilers durante nossas 13 reflexões, mas são pequeninos ok? 🙂

A primeira informação que tive sobre “13 Reasons Why” era de que se tratava de uma série sobre jovens deprimidos, a segunda, de que as ligações para o CVV haviam dobrado e a terceira, de que eles estavam no trendtopic do Twitter. Ok, confesso que não sou adepta das séries, porque não tenho maturidade suficiente pra administrar o tempo e quero assistir tudo de uma vez só, mas se a gente quer falar de um assunto, precisa entender a fundo do que se trata e lá fui eu pra minha maratona de 13 episódios num final de semana. Ao final, retorcida no sofá com a cena do suicídio, comecei a refletir sobre tudo o que eu havia aprendido a partir das histórias e das pessoas que as compunham.

Vamos as 13 reflexões que eu cheguei:

Continue lendo

Setembro Amarelo e Suicídio: Falar é a melhor solução

7 min de leitura

O amarelo do Setembro Amarelo, campanha encabeçada pelo CVV serve como um Alerta.

É um pedido de atenção para a prevenção do suicídio.

Serve principalmente para dizer que é possível prevenir: percebendo a dor do outro, nos ouvindo mais e ouvindo aos outros, dando espaço para falar abertamente sobre a prevenção e as consequências do suicídio, ou você acredita que é um problema só do outro?

Já tratamos do assunto aqui no Psico.Online algumas vezes, inclusive falando de Suicídio Infantil e na Adolescência e postando um documentário sobre o tabú que é falar de suicídio e hoje, além do post da campanha, trazemos o link novo da cartilha: Suicídio – informando para previnir do Conselho Federal de Medicina.

Continue lendo

tristeza, depressão, jovem depressivo, adolescente com depressão, pessoa sofrendo

Tristeza, depressão ou algo obscuro dentro de mim

1 min de leitura

Mais uma Caixa de Segredos e essa me deixou bastante tocada. Me fez enxergar tristeza, depressão, sentimentos bastante negativos escorrendo pela tela. Fiquei preocupada, pois parece que ninguém percebe esse indivíduo pedindo socorro.

E quantas vezes a gente não vê isso acontecendo?

Gente que acha que depressão é frescura, que é só querer que você consegue ficar bem. Que falta vontade, inclusive gente dentro da nossa própria casa! Continue lendo

suicídio

Suicídio sem tabú – documentário 2015

0 min de leitura

O documentário a seguir, de 30 minutos, produzido para o trabalho de conclusão de curso de Jornalismo pela Universidade de Sorocaba – UNISO 2015 se constrói através da narrativa dolorosa de pessoas que de alguma maneira tiveram suas vidas afetadas pelo suicídio.

Através em um retrato jornalístico do tema tabú: Suicídio, o documentário mostra variadas perspectivas, da psicológica à filosófica, passando, dentre outras, pelo papel da imprensa no tratamento do tema e o que dizem algumas religiões como Catolicismo, Kardecismo e Islamismo sobre o assunto.

Continue lendo

Suicídio Infantil. Um assunto sério sobre a tristeza das crianças

13 min de leitura

Busque ajuda para suicídio se suspeitar de alguma coisa:

Por telefone: 188 (as ligações são gratuitas, inclusive por celular)
Por chat ou chamada de voz online: acesse cvv.org.br

Os sinais – Conheça fatores que, em crianças e adolescentes, podem dar indício de que há algum risco de suicídio.

  • Abuso de drogas
    Álcool e drogas são muitas vezes uma forma de fugir dos problemas e, além disso, podem favorecer algum estado depressivo. Há relatos de uso cada vez mais precoce.
  • Desorganização familiar
    A sensação de abandono e de falta de atenção pode levar a criança a atitudes extremas.
  • Quadro de depressão
    Os adolescentes, especialmente, têm dificuldade em lidar com a depressão. Podem reagir com raiva e agressividade.
  • Alterações de conduta
    Tornar-se agressivo, começar a faltar às aulas, piorar o desempenho escolar, dormir demais ou muito pouco, comer muito ou quase nada e isolar-se são mudanças de comportamento que devem ser acompanhadas de perto.
  • Gestações precoces
    Em alguns casos, meninas que tentam abortar e não conseguem acabam fazendo uma tentativa de suicídio.
  • Abusos e maus-tratos
    Abusos sexuais e físicos podem estar relacionados às tentativas. No Estado, há uma estimativa de que 10% dos adolescentes já os tenham sofrido.
  • Casos conhecidos
    Crianças e adolescentes são mais sugestionáveis. Dados mostram que muitas das tentativas são feitas por quem conhece outra pessoa que já tentou se matar, seja na família ou na escola.
  • Autolesões
    Está mais comum entre crianças e adolescentes a prática de infligir lesões em si mesmo com lâminas ou estiletes.
  • Tentativas anteriores
    Quem já tentou se matar uma vez tem mais probabilidade de tentar de novo.

Como agir em caso de suspeita ou risco de suicídio

Suicídio: A atenção as sintomas deve ser considerada. Em caso de dúvidas, procure auxílio. Psicologos podem ajudar.

A atenção as sintomas deve ser considerada. Em caso de dúvidas, procure auxílio. Psicologos podem ajudar.

  • Observe sintomas de depressão
    Apatia pouco usual, letargia, falta de apetite. Insônia persistente, ansiedade ou angústia permanente. Abuso de álcool, droga ou remédios. Dificuldades de relacionamento e integração.
  • Dizer adeus, como se não fosse mais ser visto.
  • Preste atenção nos adolescentes:
    • Mantenha uma atitude não julgadora.
    • Desenvolva uma escuta atenta sobre os problemas e angústias dos adolescentes.
    • Ressalte a esperança na possibilidade de melhora pela psicoterapia ou pela medicação antidepressiva.
    • A melhora inicial do paciente em meio ao tratamento não descarta hipótese de suicídio. Pelo contrário: em alguns casos, eles buscam a morte no momento da melhora.
    • Não tenha preconceito com internação, caso especialistas recomendem.
  • Fique atento aos riscos da internet
    • Mantenha-se vigilante em relação aos sites frequentados.
    • É comum pessoas doentes buscarem na internet uma forma de se aliviar. Por vezes, acabam encontrando pessoas tão ou mais doentes ou com grupos anônimos que estimulam o suicídio.
  • “O bullying está fortemente associado”

Os fatos:

Continue lendo