3 min de leitura · 

Síndrome de Burnout, estresse e depressão são problemas de saúde bastante específicos e mesmo apresentando sintomas semelhantes, estas 3 condições são classificadas e tratadas de maneiras diferentes pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e pelos manuais de diagnóstico.

De acordo com a OMS, a síndrome de burnout é uma condição ligada ao estresse durante o trabalho. Já a depressão é considerada uma doença psiquiátrica crônica. Por sua vez, o estresse é uma resposta do corpo para todas as circunstâncias do cotidiano. 

Neste post explicaremos rapidamente quais são as principais diferenças entre a síndrome de burnout, stress e depressão. Entenda quais são as principais características de cada um destes casos, acompanhe!

Síndrome de Burnout, estresse e depressão

Para entender melhor sobre o assunto, é necessário saber quais são as principais características de cada um deles, sintomas e qual é o tratamento mais adequado.

síndrome de burnout
Photo by Polina Tankilevitch on Pexels.com

Síndrome de Burnout

A Síndrome de Burnout é um transtorno desenvolvido por conta do estresse enfrentado no ambiente de trabalho. Homens e mulheres podem ser afetados, basta viver em situações de constante estresse profissional.

Essa síndrome pode ser decorrente de cansaço extremo, carga horária excessiva ou até mesmo falta de reconhecimento dos seus superiores. Em uma pesquisa realizada pela psicóloga Ana Maria Rossi, foi identificado que cerca de 72% dos brasileiros possuem uma sequela de burnout, podendo ser classificado em nível baixo, intermediário e alto.

O termo burnout é definido, segundo um jargão inglês, como aquilo que deixou de funcionar por absoluta falta de energia. Metaforicamente é aquilo, ou aquele, que chegou ao seu limite, com grande prejuízo em seu desempenho físico ou mental.

A síndrome de burnout é um processo iniciado com excessivos e prolongados níveis de estresse (tensão) no trabalho. Para o diagnóstico, existem quatro concepções teóricas: a clínica, a sociopsicológica, a organizacional e a sociohistórica. 

A mais utilizada nos estudos atuais é a concepção sociopsicológica e nela, as características individuais associadas às do ambiente e às do trabalho propiciaram o aparecimento dos fatores multidimensionais da síndrome: exaustão emocional (EE), distanciamento afetivo (despersonalização – DE) e baixa realização profissional (RP).

A exaustão emocional abrange sentimentos de desesperança, solidão, depressão, raiva, impaciência, irritabilidade, tensão, diminuição de empatia; sensação de baixa energia, fraqueza, preocupação; aumento da suscetibilidade para doenças, cefaléias, náuseas, tensão muscular, dor lombar ou cervical e distúrbios do sono. 

O distanciamento afetivo provoca a sensação de alienação em relação aos outros, sendo a presença destes muitas vezes desagradável e não desejada. 

Já a baixa realização profissional ou baixa satisfação com o trabalho pode ser descrita como uma sensação de que muito pouco tem sido alcançado e o que é realizado não tem valor.

Principais sintomas

Os sintomas, além dos mencionados acima, são bem parecidos com outras condições de saúde, como depressão e ansiedade. Os principais efeitos são:

  • Dor de cabeça frequente;
  • Cansaço excessivo;
  • Insônia;
  • Dificuldades de concentração;
  • Alteração no apetite e nos batimentos cardíacos.

Tratamento

Assim como qualquer problema psicológico, o burnout precisa ser acompanhado por um psicólogo e também tratado com um psiquiatra. A psicoterapia é o tratamento mais indicado, porém o psiquiatra também pode prescrever medicamentos como ansiolíticos e antidepressivos.

desperate evicted male entrepreneur standing near window
Photo by Andrea Piacquadio on Pexels.com

Depressão

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica e pode afetar pessoas de qualquer faixa etária, desde crianças até idosos. De acordo com os dados divulgados pela OMS, mais de 300 milhões de pessoas no mundo todo já sofrem com esta doença. 

Nos piores cenários, a depressão pode levar até mesmo ao suicídio, que é considerada a segunda maior causa de morte nos jovens de 15 a 29 anos no mundo todo. 

Principais sintomas

Os sintomas entre burnout, stress e depressão podem ser bem parecidos em alguns pontos. Confira os principais sintomas da depressão:

  • Irritabilidade;
  • Perda de prazer;
  • Cansaço;
  • Distúrbio do sono;
  • Apatia ou choro fácil;
  • Falta de concentração e de memória;
  • Falta vontade de fazer qualquer atividade.

Tratamento

O tratamento para a depressão costuma ser dividido em níveis e estado da doença. Para os casos mais leves é recomendado tratamento psicossocial, como a psicoterapia.

Em casos moderados ou graves, os antidepressivos costumam ser bem eficazes em conjunto com o acompanhamento psicológico. 

person in white shirt with brown wooden frame
Photo by cottonbro on Pexels.com

Estresse

O estresse é a forma que o corpo reage em diferentes situações que seja necessário um grande esforço emocional e também pode atingir pessoas de qualquer faixa etária.

A liberação do hormônio cortisol é importante para a sobrevivência dos seres humanos, porém é necessário que aconteça na dosagem correta, quando picos são atingidos pode causar diversos problemas.

O cortisol pode inflamar o organismo, respondendo em diferentes órgãos como o intestino, cérebro e células adiposas.

Além de causar disfunções no estado psicológico e somar para o aparecimento de outros problemas.

Sintomas

  • Beber ou fumar para se acalmar;
  • Comer excessivamente;
  • Trabalho excessivo;
  • Poucas horas de sono por dia;
  • Procrastinação das tarefas.

Tratamento

Quando a pessoa já está vivendo uma situação de estresse, a orientação principal é identificar o fato que está sendo estressante e resolvê-lo. Outro fato importante é evitar situações que causam grande esforço emocional e buscar formas de relaxamento.

Faça alimentações mais saudáveis e atividade física, já que ela é responsável por liberar a endorfina, dopamina e serotonina que são hormônios do prazer e bem estar.

Além disso, práticas como a psicoterapia, meditação e atividades físicas que equilibrem o estado físico, psicológico e ambiental são importantes.

Referências:

TRIGO, Telma Ramos; TENG, Chei Tung; HALLAK, Jaime Eduardo Cecílio. Síndrome de burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Rev. psiquiatr. clín.,  São Paulo ,  v. 34, n. 5, p. 223-233,    2007 .   Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832007000500004&lng=en&nrm=iso>. access on  19  Feb.  2021.  http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832007000500004.

Síndrome de burnout (esgotamento profissional) | Drauzio Varella – Drauzio Varella

O que significa a mudança da OMS sobre a Síndrome de Burnout?Photo by Nataliya Vaitkevich from Pexels

Clique para votar
[Total: 8 Average: 5]

Um comentário em “Síndrome de Burnout, estresse e depressão. Confira as principais diferenças entre esses 3.

  1. Eu me afastei do trabalho por causa do Burnout. Estou fazendo terapia com PNL, que é a programação neurolinguística, e tem sido muito boa para mim. super recomendo.

Gostaríamos de escutar o que você tem a dizer.