Anúncio

Receita de felicidade

0
(0)
4 min de leitura · 

Um estudo de Harvard revelou 6 pontos básicos para ser feliz, vem ver essa receita de felicidade 😉

São muitas as investigações feitas para saber mais sobre a felicidade, ainda mais hoje em dia, que existe uma obsessão por ser feliz. Os investigadores passam muito tempo tentando descobrir o que as pessoas felizes fazem de diferente, porque, infelizmente, nem todo mundo é.

Cada um de nós vive a vida de distintas maneiras e isso tem consequências positivas ou negativas em nosso estado emocional. As pessoas felizes tem sua maneira de pensar e atuar, sua própria atitude frente a vida e as circunstâncias e frente ao sucesso que presenciam ao seu redor e isso as ajuda a manter-se num estado mais duradouro de felicidade.

A seguir vamos falar de um estudo feito pela Universidade de Harvard, que durou mais de 75 anos e que pretendia saber quais eram as chaves da felicidade.

O estudo longitudinal da Universidade de Harvard sobre a receita de felicidade

Harvard é a melhor universidade do mundo para se estudar Psicologia e desde 1938 levou em frenteum estudo sobre felicidade, que contou com 268 participantes. Os resultados foram publicados em 2012, pelo psiquiatra George Vaillant, que dirigiu o estudo de 1972 até 2004. Durante décadas, os investigadores avaliaram distintas áreas da vida dos participantes e conseguiram dados de distintas variáveis, como por exemplo, seu nível de inteligência, sua renda, seu consumo de álcool e suas relações interpessoais.

 

De maneira resumida, estas são as conclusões da investigação e portanto, uma possível receita de felicidade.

1. Valoriza o amor acima de tudo

O estudo conclui que não devemos subestimar o poder do amor, porque isso é a chave da felicidade. O Dr. George Vaillant afirma que existem duas coisas imprescindíveis para sermos felizes: uma delas é o amor e a outra é encontrar a maneira de enfrentar as situações que fazem com que o amor queira ir embora.

Sobre o estudo que custou 20 milhões de dólares e durou 75 anos, o psiquiatra conclui: “A felicidade é amor”. Assim, depois dessa afirmação, uma coisa é clara, há que se abrir o coração para ser feliz.

2. As relações significativas e as conexões importam muito

Isso não é novidade desse estudo, pois muitas pesquisas afirmam que a amizade e a família são muitíssimo importantes para o nosso bem estar e nossa felicidade. Existe evidência científica que afirma que a boa relação com os companheiros de trabalho tem um efeito positivo na hora de reduzir o estresse, o que chamamos de fator de proteção.

E não só isso, Vaillant diz que “não somente as relações sãs são um bom indicador de satisfação na vida, mas que as fortes conexões com o trabalho que realizamos nos fazem mais felizes”.

3. Não abuse do álcool

Como qualquer droga, o álcool pode provocar sérios problemas para a saúde da pessoa que o consome e ainda é capaz de destruir vidas. O estudo da Universidade de Harvard conclui que existe uma forte correlação entre abuso de álcool e depressão e problemas emocionais. E ainda, tanto o consumo de álcool como o tabaco são causas de alto índice de mortalidade.

Leia também
Motivação: o que te guia

4. O dinheiro não te faz mais feliz

Os resultados desta longa investigação mostra, que o dinheiro não dá felicidade. Portanto, é errado pensar que devemos trabalhar para obter o maior resultado econômico.

Como explica o próprio Vaillant, “o que realmente importa é estar contente no trabalho que se faz”.

Mas não só o dinheiro não te faz mais feliz, como te muda enquanto pessoa. te muda pra pior. O dinheiro corrompe as pessoas, que são facilmente subornadas.

5. Ser otimista te faz mais feliz

Segundo o estudo, o otimismo te faz mais feliz. Os pesquisadores concluem que “ao observar a evolução dos sujeitos, encontramos que as crianças alegres e otimistas eram mais felizes e viviam até uma idade mais avançada”. E concluem ainda que, pessoas mais conscientes e responsáveis mostram maiores níveis de satisfação vital.

6. Você pode encontra a feicidade a qualquer momento de sua vida, por isso nunca é tarde para mudar

A felicidade tem muito a ver com como interpretamos o mundo e, portanto, com nossa maneira de pensar. Existem pessoas que podem ser muito infelizes durante anos e como consequência de uma má experiência, começam a dar valor a pequenas coisas do dia a dia.

Isso demonstra que se pode aprender a ser feliz. Dito de outra maneira, é possível fazer coisas para ser mais feliz. Se você não é, comece a refletir sobre sua maneira de pensar e sobre seus hábitos diários, quem sabe não está fazendo algo de errado e mudando, chegue à felicidade 😉

Conta pra gente nos comentários se você concorda com essa receita de felicidade

O quanto este post foi útil para você?

Psico.Online

Psico Online - Psicólogas e Psicólogos 24 horas rápido, fácil e descomplicado. Psicologia Online para acolhimento psicológico. Somos uma plataforma de acolhimento psicológico 24 horas, ligando clientes e psicos, de maneira fácil e descomplicada. Reunimos profissionais da Psicologia, psicólogas e psicólogos, que oferecem orientação psicológica a fim de facilitar o acesso de pessoas que buscam auxílio profissional psicológico, em questões emocionais, de relacionamento, profissionais, autoconhecimento e saúde mental, de forma simples e rápida.

Share
Published by
Psico.Online

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

2 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

3 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

3 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma"…

3 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no…

3 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez…

3 meses ago

This website uses cookies.