Anúncio

Quando não há motivação no trabalho

5
(1)
4 min de leitura · 

Recentemente fui procurada por uma pessoa que precisava de ajuda, não sentia motivação para trabalhar e isso estava afetando sua vida como um todo.
Tudo estava péssimo e já não tinha paciência para as coisas, o que ocasionava problemas em seus relacionamentos pessoais e profissionais.
Essa conversa me fez pensar na quantidade de pessoas sem motivação que encontramos diariamente.
E me levou a escrever esse texto para trazer insights importantes que podem ajudar a definir possíveis caminhos de mudança.

O dia de alguém desmotivado não é nada fácil, abaixo descrevo o de um personagem fictício.
A maior dificuldade é nunca encontrar motivos para retomar a felicidade de estar no emprego.

Segunda-Feira

7h00 – Começa a maior batalha do dia: sair da cama!
Já não sabe se o motivo da batalha é o frio que faz lá fora ou a falta de motivação para encarar o dia que está por vir.
8h00 – Demorou muito para se arrumar e está atrasado!
Sai de casa já pensando nas tarefas do dia, respirando fundo e tentando achar em algum canto do seu ser a motivação que um dia estava lá.
Mas só encontra as lamentações de ter que encarar mais uma vez aquelas pessoas que querem “sugar sua alma”, que não se importam com ele e muito menos querem facilitar sua vida.
9h00 -Tudo está cinza e ele não quer nem dar bom dia para o pessoal!
Seu desejo é se fechar em uma sala, rezar para o tempo passar logo e ninguém chamar para uma reunião sem sentido que vai servir para definir coisa nenhuma.
12h00 – Finalmente uma pausa, depois de comer e só faltarão algumas longas horas!
Durante a refeição ele se pergunta o que aconteceu e quando foi que ficou tão chato trabalhar ali.
18h00 – Finalmente o dia acabou!
Ele terá poucas horas de paz até voltar para aquele inferno novamente.
23h00 – Hora de dormir, ele está triste!
Brigou com todos em casa porque ninguém entende como ele está cansado.
Além disso começa a pensar que amanhã precisa encarar tudo novamente.
Até dá vontade de chorar, mas ele respira fundo e vai olhar o Instagram para se distrair até cair no sono.

Caso você tenha se identificado com pelo menos duas das situações apontadas acima te convido a repensar algumas coisas.
Para começar é preciso ter em mente que você pode trabalhar na melhor empresa do mundo e não ser feliz.
A motivação depende mais de você e de definições pessoais do que de seu empregador!

Mas como fazer para se motivar?

Perceba o que te mantêm nesse emprego, quais são as recompensas de vida que ele proporciona e avalie se são plausíveis e se valem a pena.
Permita-se repensar sua carreira e empresa se for necessário, principalmente se estiver lá apenas por dinheiro.
Não há valor que pague sua paz.
Não tenha medo, você poderá encontrar outro trabalho que te faça mais feliz, mesmo que inicialmente pague menos.
Essa mudança pode ser feita aos poucos, basta se programar e preparar para isso.
Você não precisa mudar hoje, mas precisa começar em algum momento!
Claro que nem sempre conseguimos mudar nossa realidade na velocidade que queremos e nos vemos presos em empregos que não nos fazem felizes.
Para esses momentos recomendo refletir sobre os tópicos a seguir.

Encontre o que te desmotiva

Liste tudo que te desmotiva no emprego, do seu chefe até o café mal feito da copeira!
Depois disso, separe os itens em dois grupos: os que você pode mudar e os que não pode e reflita sobre eles.

O que você pode mudar:
Descubra como mudar, trace pequenas metas de melhorias e prazos para que isso aconteça, se dedique na mudança!

O que você não pode mudar: 
Aceite que não dá para mudar aquele problema, mas sim a forma de lidar com ele!
Ao parar de lutar contra ou reclamar, você economiza energia para focar no que importa!

Descubra os porquês

Tenha claro os motivos de ainda estar nesse emprego e deixe em sua mesa coisas que te lembrem que esse sacrifício vale a pena.
Pode ser foto da família, imagem de um sonho ou plano futuro, olhe para elas sempre que precisar de motivação, encontre nelas a motivação que tanto falta.
Também é importante definir quanto tempo precisa passar por isso para alcançar suas metas.
Trace planos para mudar sua realidade, lembrando sempre de dar um passo de cada vez.

Encare seus medos

As vezes nos mantemos em situações desagradáveis pelo medo da mudança.
Mas avalie, as vezes o pior que pode acontecer ao mudar ainda sim é bem melhor do que a situação atual.
Por isso vale a pena vencer seus medos e começar a mudança!
Esses são grandes passos e mudanças, por isso leve o tempo que precisar para digerir tudo que foi abordado aqui.
Mas lembre-se que o que está em jogo é sua felicidade e dinheiro nenhum poderá pagar por isso.

O quanto este post foi útil para você?

Debora de Barros Paschoal

CRP 06/126.802 - Formada em psicologia pela Universidade Paulista, co-fundadora do Teramor, projeto que visa apoiar mulheres que experienciaram relacionamentos abusivos, estimulando o empoderamento e amor próprio. Sigo a abordagem fenomenológica existencial, por isso meu foco é na compreensão da existência de cada um baseando em suas vivências e convicções. Com isso consigo te ajudar a encontrar o sentido das coisas e de sua vida, consequentemente você encontra as possíveis soluções para suas questões e problemas. Entendo que cada ser Humano é único e deve ser tratado como tal, por isso não há receita pronta para resolver os problemas, é uma construção e estou aqui para te ajudar no processo! Telefone/Whatsapp: 11 9.3300-9142 Fale com esta Psico.Online https://meupsicoonline.com.br/psicologa-debora-barros

Share
Published by
Debora de Barros Paschoal

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida melhoraria. Olha, preciso dizer, isso…

2 semanas ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida como o oposto da felicidade.…

2 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles não utilizaram todo o conteúdo,…

2 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma" sem nem ao menos estar…

2 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no dia a dia — pelo…

2 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez que vi essa pergunta por…

2 meses ago

This website uses cookies.