Psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem ou podem ser tatuados?

Psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem?

4 min de leitura

Psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem? Ou seria, profissionais de psicologia podem ser tatuados?

Não sei o porquê, mas em um dos meses do ano passado, esse foi um dos temas buscados aqui.

Então, achamos pertinente tratar os pontos de vista por aqui: a visão do cliente e a visão do profissional em psicologia. Quem escreve este texto, não tem tatuagem e quem revisa este texto, tem várias… qual será o resultado? Quem vencerá? Psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem, afinal?

Na visão do paciente ou cliente: o psicólogo pode ter tatoo ou pode ser tatuado?

A resposta é muito simples, claro: depende.

É! Depende, claro.

Quer falar com um psico.online agora?Vamos teorizar, pois cada caso é um caso.

Você, que procura um psicólogo para tratar determinada situação:

Procura porque gostaria de resolver uma determina questão.

Eu pelo menos desconheço algum caso de um paciente que procurou um psicólogo para resolver a dúvida de que o psicólogo ou psicóloga pode ter tatuagem ou não. Então, aqui trabalharemos no mundo das teorias e confabulações não científicas.

Você procura o profissional da psicologia por que precisa resolver uma questão, a sua questão, não essa de cima, mas a questão que te incomoda ou atrapalha ou que você gostaria de chegar a um determinado ponto e que não tem a ver com psicólogos e psicólogas poderem ter tatuagem ou não ficou claro que são “problemas distintos”?

Se sim ótimo, podemos avançar.

Enfim, você que procura um profissional de psicologia, teve como valores pessoais adquiridos ao longo de toda uma vida e de diversas maneiras, as seguintes ideias sobre tatuagem:

  • Tatuagem é coisa do mal.
  • Tatoo é uma marca para sempre.
  • Tatuagem é imoral ou tatuagem é amoral.
  • Tatuagem não é coisa de pessoas de bem.
  • Tatuagem não combina com uma crença religiosa.
  • A tatoo é considerada um vilipêndio à santidade do corpo.
  • Tatuagem é coisa de bandido.

Então para você, a resposta para a pergunta: psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem é não, o psicólogo ou a psicóloga não pode ter tatuagem.

“Não pode” porque você já irá munido de um conflito e o profissional que o atende não deve despertar conflito, deve ser o mais neutro possível para que você se vincule, confie, transfira para ele seus anseios, desejos, pressões e tantos outros sentimentos.

O Psicólogo ali para você não pode representar apenas um ponto de mutação. Ninguém (pelo menos nenhum profissional que se preze) deveria tentar mudar a sua forma de pensar. Ela é sua e até que lhe faça mal ou que lhe incomode, o psicólogo deve acolhê-la, concordando ou não com ela.

Pessoas são diferentes, têm gostos diferentes. Mas como paciente ou cliente, o psicólogo é um profissional que deve atender as suas necessidades.

Agora vamos para a outra extremidade.  

O seu estilo pessoal é oposto a esse que descrevemos há pouco no texto.

Você até gosta de tatuagem, acredita que cada um tem seu estilo e é responsável por seu próprio corpo.

Ao olhar a tatoo, você mal a percebe. E seus pensamentos são:

  • Nossa que tatuagem legal.
  • Uau. Como ele teve coragem, que lindo!
  • Nossa que coisa mais fofa, queria uma assim.
  • Amo essa história de vida.
  • O significado para mim é tudo…
  • Nossa, ele/a sempre teve essa tatoo?

Ou simplesmente a ignora pois é a tatuagem do seu psicólogo e não sua.

Então, para você, a resposta a pergunta: psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem? É: não importa!

O  psicólogo ou a sua psicóloga pode ter tatuagem. Pode não ter. 

Você gosta ou não liga e, é por isso que ao conversar com um psicólogo sobre seu assunto, não será problema, pois o foco será você e não o seu profissional.

Aquela tatuagem que você verá não interferirá em você.

Aliás, talvez até interfira, para o bem, para criar a identificação e a aproximação necessárias.

E para os psicólogos e futuros psicólogos, psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem?

Você é um profissional e deve atender pessoas, que diante de você são pessoas.

Sabe muito bem que cada indivíduo é único e universal.

Sabe dos conceitos sociais, psíquicos, cognitivos e fisiológicos, filosóficos e de empatia. Deveria, ao menos, ter noção sobre o que é pré ou conceitos naturalmente cristalizados. Ter noção de neutralidade e de abstinência de ação e sugestão. Entender que quem o procura, procura por um motivo que é próprio e que esse motivo é a razão daquele seu existir como profissional.

Logo, sabendo de tudo isso, e somando a sua característica pessoal, deve entender: a minha tatuagem exerce algum tipo de “ação” para a “reação” do outro? E cabe a você profissional identificar isso e encaminhar ou não seu paciente. 😉

Entenda que você deve receber bem quem te procura e que você não sabe quem entrará em seu campo de visão. Pode ser um idoso, pode ser uma pessoa com personalidade e ideias enraizadas?

Você deseja atendê-la bem ou transferí-la? Ou ainda, arriscar…

E você, leitor que está em busca de um psicólogo ou de uma psicóloga e deseja um profissional que possa atender-te de maneira idônea, quanto essa situação o incomoda? Você não tem que se forçar ao profissional.

Perceba. O que muda em você o fato do outro ter ou não uma tatuagem. E aí sim, responda a pergunta inicial deste texto: Psicólogos e psicólogas podem ter tatuagem?

Veja também:

Posso adicionar meu psico no Facebook?

Psicólogo que fala da vida dele: pode?

1º Censo de Tatuagem do Brasil: resultados

Você vai gostar de ler também:

Raul Oliveira
Formado em Administração com ênfase em Marketing, workaholic geek que respira tecnologia, pesquisador e mestrando em tecnologias da inteligência e design digital hoje está no papel de graduando em Psicologia é um dos fundadores do Psico.Online e do MeuPsicoOnline.com.br
Raul Oliveira on BloggerRaul Oliveira on Facebook

Raul Oliveira

Formado em Administração com ênfase em Marketing, workaholic geek que respira tecnologia, pesquisador e mestrando em tecnologias da inteligência e design digital hoje está no papel de graduando em Psicologia é um dos fundadores do Psico.Online e do MeuPsicoOnline.com.br

Participe, queremos ler o que você tem a dizer