Anúncio

Minha família quer que eu faça faculdade

0
(0)
2 min de leitura · 

“Minha família quer que eu faça faculdade, mas eu quero ser cantora” quem aí passa ou passou por algo parecido?

Respondendo à mais uma Caixa de Segredos, hoje vamos falar sobre as expectativas dos pais à respeito da vida dos filhos.

Quem nos escreveu quer seguir uma carreira artística, tentar a vida em outro país e buscar a realização de um sonho, mas seus pais acham perigoso, não aprovam a ideia e isso tem gerado angústias.

A questão é que geralmente na adolescência, quando começamos a pensar sobre o que queremos fazer nas nossas vidas, surgem inúmeras ideias, algumas bem audaciosas e nossos pais, como cuidadores ou superprotetores que são, nem sempre concordam.

As vezes eles são contra o que os filhos querem, dão justificativas que parecem assustadoras, mas que podem sim, fazer muito sentido.

Pense que para alguns pais, é bastante difícil pensar um filho sozinho, longe de casa e dos cuidados que uma família proporciona.

Pense que aos poucos, essa família vai naturalmente perceber que você está crescendo e logo poderá tomar o seu próprio rumo.

Pense que entrar num conflito para fazê-los aceitar a sua “decisão” nem sempre é o melhor caminho.

Não estou falando que devemos abrir mão de sonhos, aliás, jamais devemos fazer isso!

Mas pode ser que você esteja se precipitando, sofrendo por algo que nem vai acontecer.

Aqui vai uma dica: se você acredita que seus país, sua família, serão contrários ao que você deseja, comece a falar sobre isso, mas de uma maneira mais delicada, mostre exemplos de pessoas que fizeram o mesmo que você quer fazer, pergunte sobre os medos que eles tem em relação ao que você quer, escute-os atentamente, procure se colocar no lugar deles.

Pesquise bastante sobre essa sua vontade, seu sonho, leia experiências de pessoas que já se “atreveram”, tente conversar com elas e saber como foi.

Leia também “Profissão e a hora da escolha

E lembre-se, seus pais não são seus inimigos, mas em muitos momentos, eles agem por medo e acabam parecendo verdadeiros monstrinhos a tentar nos impedir de fazer o que queremos.

Como diz a música do Legião Urbana

“Você culpa seus pais por tudo
Isso é absurdo
São crianças como você”

Nem sempre nossos pais sabem como lidar com as situações, mas uma boa conversa, saudável e sincera, colocando o respeito sempre em primeiro lugar, pode ajuda-los a enfrentar esses desafios e ainda, de quebra você estreita os laços e ganha bons amigos 😉

O quanto este post foi útil para você?

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Leave a Comment
Share
Published by
Raquel Ferreira

Recent Posts

Informação e imaginação na nossa ansiedade

Informação e imaginação tem ações concretas na nossa ansiedade? O quanto nossas informações e o…

1 mês ago

Vão se os anéis, ficam-se os dedos

Cá com meus botões, pensando, enquanto procuro uma entrevista de Noam Chomsky, onde ele fala…

2 meses ago

Criticar o outro, fala mais sobre você.

"Nós não vemos as coisas como elas são, nós as vemos como somos ", disse…

3 meses ago

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

5 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

6 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

6 meses ago

This website uses cookies.