posso adicionar meu psico no facebook, solicitação de amizade

Posso adicionar meu psico no Facebook?

2 min de leitura

Posso adicionar meu psico no Facebook ou em outras redes sociais? Essa pergunta, em tempos onde tudo é digital, se não existisse seria até estranho.

Muitos dos meus pacientes já me enviaram solicitação de amizade, muitas pessoas já me perguntaram se eu aceito, muitos profissionais divergem sobre essa questão. Então, hoje vou falar um pouco do que eu penso a respeito e o que me faz aceitar ou não um paciente em redes sociais.

Primeiro ponto: quando você solicita a amizade de alguém, antes de clicar naquele botãozinho, se perguntou qual o motivo de fazê-lo? O que você quer ver/saber sobre aquela pessoa? Quais suas ideias sobre cada amigo que tem no Face, no Insta, no Twiter? Por que você os tem ali? Quando algum dos seus contatos posta algo contrário ao que você gosta ou acredita, como costuma lidar? Seu psi pode pensar diferente de você, já pensou nisso?

Segundo ponto: pergunte ao seu psicólogo ou psicóloga se você pode adicioná-lo. Como eu disse, cada profissional tem uma maneira de pensar e inclusive, cada pessoa aceita outras por variados motivos. 

Clique e fale com um Psicóloga Online agoraSe seu psi não quer te adicionar porque prefere manter privacidade ou um distanciamento social fora do consultório, é direito dele.

Quando meus pacientes querem me adicionar eu sempre aviso que ali tem uma pessoa comum, com uma vida como outra qualquer, que não sou psicóloga em 100% do tempo, que naquele ambiente virtual está a minha vida como ela é. Não que eu seja uma dentro e outra fora do consultório, mas sentada na poltrona diante de um paciente, não vou falar sobre minhas convicções políticas ou sobre que comida eu prefiro, dentro do consultório o que me importa é o paciente, nas minhas redes sociais o que me importa é a minha vida privada. Também pergunto o porquê de querer me ter em suas redes sociais e o que esperam encontrar ali. Discutimos a respeito dessa solicitação.

Se ao ouvir as respostas eu me sentir confortável em aceitar a pessoa e ela se sentir a vontade depois de minhas explicações, sigo adiante.

 

Ou seja, para mim, você pode adicionar seu psico no Facebook, mas precisa saber lidar com o que vê fora da clínica. Inclusive, precisa estar preparado ou preparada para não ter a solicitação aceita e terá de lidar com isso, que pode ser assunto de terapia também, mas acima de tudo, precisamos (e aqui é uma via de mão dupla mesmo) respeitar o vínculo terapêutico, se ter seu psi como “amigo” te soar um pouco estranho e/ou você achar que isso pode atrapalhar no seu processo, não envie a solicitação.

Se o adicionou, lembre-se que qualquer desconforto ao ver ou ler o que o seu psi posta pode e deve ser falado com ele.

É papel do profissional prezar pelo seu bem-estar e lhe ajudar a compreender e elaborar os seus desconfortos, sempre respeitando as suas crenças, as suas escolhas, as suas convicções. No fim das contas é tudo sobre como nos portamos, como nos posicionamos diante das circunstâncias e como refletimos acerca do que está ao nosso redor, mas é também sobre nossas necessidades de estar conectados o tempo todo, de observar a vida alheia e saber como isso tudo impacta na minha 😉

Você vai gostar de ler também:

Raquel Ferreira
CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

One thought to “Posso adicionar meu psico no Facebook?”

Participe, queremos ler o que você tem a dizer