conceito de estigma, estigma, estigmatizar, segregar, segregação

Conceito de estigma

Você já parou pra pensar qual é o real conceito de estigma?

Um dos temas do meu projeto de doutorado tem a ver com o estigma e despretensiosamente fui pesquisar qual era o conceito de estigma.

Sempre que eu penso em estigma me dá um aperto, fico imaginando inúmeros casos de preconceito, afastamento social, dor emocional, vergonha, desinformação.

E cheguei a conclusão de que a desinformação realmente é o problema que faz perpetuar o tal do estigma.

Goffman, um carinha estudioso do assunto, fala mais ou menos que o estigma nasce à partir de estereótipos que a sociedade cria, é como se tivéssemos uma caixa com todas as coisas padrão, todas as coisas “certas” e o tal do estigma fosse a coisa que não se encaixa na caixa.

A coisa que é diferente, porque nasceu assim ou porque alguma circunstância do acaso ou da vida mesmo, fizesse com que tudo se alterasse e o sujeito passasse a ser um estranho ou quase um perigo para a ordem da sociedade.

Caramba, é muita desinformação mesmo!

Tem um outro estudo que mostra que com o passar do tempo e as reflexões sócio-históricas que fazemos as coisas mudam, os estigmas mudam, mas não desaparecem e sabem por quê?

Porque a sociedade insiste em rotular as coisas e infelizmente, as pessoas, ou seja, eu, você, nós, somos os responsáveis por isso, por diariamente seguir rotulando e segregando pessoas.

Pessoas são pessoas e características sempre serão infinitas e diferentes de um pro outro. O que a gente precisa é aprender a respeitar, a refletir, raciocinar, entender.

Pra ser diferente a gente precisa fazer a diferença. Que tal ler sobre algo que hoje é estigmatizado, entender um pouquinho melhor sobre o assunto e depois explicar pra alguém?

Acho que assim a gente pode começar a criar uma corrente contra os rótulos, contra os estigmas e contra a perpetuação de ideias. Vem com a gente?

E para não ficar apenas no que a gente explicou, segue um trecho do conceito de estigma, do artigo da Rebeca Torres Alves Costa
Mestre em Planejamento em Políticas Publicas – UECE e do Erasmo Ruiz Miessa, Doutor em Educação pela Universidade Federal do Ceará
– UFC
Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva – (PPSAC) da UECE.

“Em sua definição, o estigma é uma cicatriz, uma marca visível (como os “estigmas da varíola”), podendo ser tanto um sinal infamante ou vergonhoso, como um sinal natural do corpo; nos dois casos, assinala uma distinção, isolando e, ao mesmo tempo, reunindo os possuidores de um mesmo atributo.

Pensados a partir de sua origem religiosa, os estigmas associam-se às cinco chagas de Cristo: sua presença atesta não apenas a santidade, mas também o pertencimento a um grupo especial. Esta escolha, longe de ser um privilégio, carrega em si obrigações e distinções (SOARES, 2009).

A palavra estigma tem como significado primário marcas de queimaduras ou cortes no corpo das pessoas.

Referências sobre o conceito de estigma:

Siqueira R, Cardoso H. (2011). O conceito de estigma como processo social: uma aproximação teórica a partir da literatura norteamericana. Imagonautas, 2(1), 92-113.

Goffman, E. (1975). Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Márcia Bandeira de Mello Leite Nunes (Trad.). Rio de Janeiro: LTC

Vivência de estigma e enfrentamento em pessoas que convivem com HIV http://ref.scielo.org/rkx9dj

Clique para votar
[Total: 3 Average: 5]

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Sobre o autor

5 comentários em “Conceito de estigma”

  1. Pingback: Personalidade Borderline: 4 Mitos E Suas Verdades • Psico.Online | MeuPsicoOnline.com.br

  2. Depois que conheci a Graça de Deus, o seu amor, a sua Imensidão,soberania, Poder, Plenitude, força, todas essas linhas de pensadores Ateistas , anti- Deus, todas essas linhas socialistas, humanista, pluralista, agnosticista vão ao contrario da pessoa de Deus e do nosso senhor Jesus Cristo e do Espirito Santo, A biblia ensina tudo que precisamos, ela e Suficiente, e Completa para a vida de um Homem. fica na Paz

  3. Ana Maria da Silva

    Bem, achei interessante quando comecei a pesquisar sobre estigma, relacionado ao pólen da flor, daí vi que é bem mais complexo o real significado da palavra estigma, porém estava querendo fazer uma analogia, com vida religiosa de alguns, podem me ajudar a esclarecer melhor nesta questão em si?

Gostaríamos de escutar o que você tem a dizer.

Scroll to Top