black woman recording interview with journalist

Tenho um problema, falo com um psicólogo ou com um amigo? 1 ou 2 questões sobre as vantagens e desvantagens.

E agora? Tenho um problema, falo com um psicólogo ou com um amigo? 

O psicólogo(a) ou um(a) amigo(a) vai ajudar melhor na sua situação? já vou dizer que os dois, mas cada um no seu quadrado. 

Já falamos aqui no psico.online sobre o quanto amigos são importantes na nossa vida, confere aqui.

Falo com um psicólogo ou com um amigo? Escolha: os amigos

two women sitting on white bench falo com um psicólogo ou amigo?
Photo by Elle Hughes on Pexels.com

Os amigos fazem parte da nossa rede de apoio, nos conhecem muito bem, alguns se comunicam com a gente só pelo olhar e nós entendemos tudo, cada palavra não dita. 

Essa sintonia faz um bem danado para a saúde emocional. 

Inegavelmente os amigos convivem conosco mais que o psicólogo, sabem muito mais detalhes da nossa vida, inclusive vivenciaram alguns momentos importantes do nosso lado. 

Somos seres sociais, nos organizamos em grupos ainda que isso não fique tão claro, estamos sempre participando de grupos pequenos onde pessoas representam papéis e que na verdade é um recorte da sociedade macro. 

Sendo assim existem diferentes tipos de amigos, para quem você faz confidências, para quem você não conta as coisas porque vai te dar bronca, aquele que você chama para os rolês porque sabe curtir como ninguém, aquele que te apoia em tudo. 

Inclusive existem amigos que não fazem bem, que nunca te apoiam, tem inveja, levam tudo para o lado pessoal. 

Se você já identificou alguém, veja esse texto aqui que tem mais dicas. 

Nem sempre é fácil identificar e muito menos se afastar dessas pessoas, às vezes existem laços importantes que unem vocês. Essa é uma questão interessante de levar para um psicólogo(a).

Mas continuando mesmo com os amigos nós já percebemos que cada um tem a sua função na nossa vida. 

O confidente sempre vai estar lá pra te escutar, acolher, ajudar no que puder. Porém toda ajuda que ele der vai ser pautada na experiência de vida dele ou até de vocês juntos. Isso tem um valor imensurável, mas pode não ser suficiente para sua necessidade naquele momento. 

Caso você esteja passando por uma uma disfunção bioquímica seu/sua amigo(a) vai saber identificar? 

Caso tenha alguma coisa que você não esteja contando, porque no fundo tem medo/vergonha que está te impedindo, seu/sua amigo(a) ainda vai conseguir te ajudar? 

Percebe que existe um limite até onde o amigo pode ir? 

Tenho um problema, falo com um Psicólogo ou amigo então? Escolha: Psicólogo.

falar com um psicólogo
Photo by cottonbro on Pexels.com

Então quer dizer que só o(a) psicólogo(a) não tem limites para me ajudar? Não! 

O psico (carinhosamente falando rs) tem muitas limitações. 

Ele ou ela não vai, necessariamente, estar no local com você vivendo as situações, isso só sua rede de apoio pode fazer.  

Mas o(a) psicólogo(a) tem conhecimento científico que vai te ajudar em questões que sua rede de apoio não pode. 

Inclusive te ajudar a identificar quem é sua rede de apoio e quem são as pessoas tóxicas que você precisa se afastar, mesmo que emocionalmente. 

Vai te ajudar também a descobrir e entender algumas questões de um jeito que faça sentido para você, seus princípios e as experiências únicas, que só você vivenciou ou enxergou. 

Esses dias uma amiga me contou que certa vez em uma sessão de psicoterapia  ela levou fotos de todos que precisaria falar, pois achava importante o psicólogo ver de quem ela estava falando, isso quando não existia toda essa tecnologia que temos fotos no celular. Achei interessante, um tanto engraçado, porque nunca tinha pensado nisso, a não ser que fosse uma demanda bem específica, mas só por conhecer, não rsrsrsrs.

Hoje com redes sociais, whatsapp e afins é mais comum que conheçamos a carinha da família nuclear ou alguns amigos do cliente por foto, mas ainda assim trabalhamos com a pessoa que é descrita na sessão. 

Não importa para o profissional conhecer a mãe, conversar com ela, saber seus gostos, mas sim conhecer a mãe que o cliente traz na sessão e a forma que o cliente experienciou a relação com essa mãe, por exemplo. 

Isso vale para qualquer outra pessoa que faça parte da vida do(a) cliente. 

Esse distanciamento é importante para a relação profissional.

Não é recomendado, por exemplo, que o psicólogo atenda familiar ou amigo próximo, (a não ser em terapias de família ou casal) porque uma relação pessoal e às vezes íntima, dificulta a construção de uma relação com um distanciamento necessário para o trabalho e o vínculo terapêutico.  

Então, quando você tiver um problema e não souber se fala com um/uma amigo(a) ou com um/uma Psicólogo(a), fale com os dois! 

Cada um vai te ajudar em uma questão específica e receberá cuidados de todas as esferas possíveis. 

Só não confunda as coisas pensando que uma substitui o outro ou que  um pode te ajudar mais que o outro. Lembre-se que os dois são importantes e cada um no seu quadrado.

E então? Você concorda ou discorda? Acha diferente? Escreve nos comentários ou marque uma sessão para falarmos mais sobre esse tema, sempre queremos escutar o que você tem a nos dizer.

E não esqueça, vote nas estrelinhas aqui embaixo, ajuda a gente a saber se o texto está te ajudando ou não. Até a próxima.

Bibliografia sobre o tema: falo com um psicólogo ou com um amigo?

BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. L. T. Psicologias – Uma introdução ao estudo de psicologia. São Paulo: Ed. Saraiva: 2002.

Camilla Costa e Bruno Garattoni | Revista Superinteressante. Atualizado em 28 nov 2018,Publicado em 21 fev 2011 

Clique para votar
[Total: 5 Average: 5]
Psicóloga em Psico.Online | Website

Psicóloga CRP 06/132.080 graduada em 2015 com ênfase em psicologia clínica possui curso de hipnose clínica e atua no atendimento, de forma online com questões de autoestima, relacionamentos e desenvolvimento pessoal. Utiliza a Terapia Cognitivo Comportamental e técnicas da hipnose clínica Ericksoniana, para auxiliar pacientes jovens, adultos e idosos. Atuante em consultoria para psicólogos com treinamentos e técnicas para a prática clínica, desenvolvimento profissional, posicionamento de mercado e supervisão. Agende comigo

Gostaríamos de escutar o que você tem a dizer.

Rolar para cima