Anúncio
Categories: Relacionamentos

Ex: um fantasma que não me larga

2 min de leitura · 

Quando colocamos muita expectativa numa relação  e essa acaba, não é fácil despedir-se. Como disse Fangoria, “Um final não acaba com nada” e temos a sensação de que que não poderemos superar e nem esquecer nosso/a ex.

Geralmente trata-se de uma relação na qual apostávamos muito, ainda que não funcionasse ou tivesse muitos problemas. Investimos muitas energia nela e temos a sensação de ter dado mais e querido mais que a outra pessoa.

Nessas circunstâncias, costumam surgir as “fantasias de reconciliação”. São desejos de que a outra pessoa volte nos pedindo perdão pelo mal que nos causou, dando-se conta do tremendo erro que cometeu ao sair do nosso lado e pedindo, ou melhor, suplicando, outra chance.

Em muitos casos essa fantasia inclui uma primeira resposta negativa de nossa parte, “agora é tarde”, como vingança ou proteção diante do mal que a outra pessoa nos causou. Mas essa negativa pode se converter num “sim” (na nossa cabeça, claro) passado um tempo de penitência em que nosso/a ex tenha pagado por seu pecados passados.

São muitos filmes, músicas que estimulam essas fantasias, mas o que fundamentalmente as alimenta é o nosso orgulho. Ao invés de aceitar a situação de que quisemos alguém que não nos quis tanto (e quem sabe esse tenha sido nosso erro, ou não), preferimos pensar que qum se enganou foi a outra pessoa, que não sabia o que estava fazendo e nem o que lhe convinha (nós sim, claro).

Também existe o nosso desejo de que a história funcione e não queremos entender que as coisas não tem porque ser conforme idealizamos.

Essas fantasias nos prendem a uma relação que já acabou e não nos deixam fechar essa história na espera de um novo capítulo (“Um final não acaba com nada”). E quando nos damos conta disso, pensamos coisas como “estou presa/o e não consigo esquecer meu/minha ex”.

Sim, isso acontece comigo. E agora o que eu faço?

Pois agora, se você não tem nenhum dado para pensar que a outra pessoa mudou de ideia a respeito da relação de vocês e todos os passos dela foram dados para afastar-se cada vez mais da sua vida, é melhor você deixar de alimentar as fantasias e abandonar as conversas que acontecem dentro da sua cabeça.

Leia também “Relacionamento perfeito e auto-boicote”

Comece por se comportar como se o/a outra/o não fosse voltar e como se a ruptura fosse definitiva, ainda que você não acredite nisso completamente. Quando fizer isso, é muito provável que sinta mais tristeza do que já sentiu até agora. Isso será um bom sinal. Um sinal de que finalmente está se despedindo da sua relação passada. Este final sim estará acabando com as coisas.

E quando tiver terminado o processo de despedida (que pode levar tempo) estarás preparado/o para continuar. E, um dia, quando menos espere, descobrirá que a energia e a vontade de viver voltaram pra você.

Retirado de http://www.psicologiaenfemenino.com (traduzido e adaptado)

O quanto este post foi útil para você?

Psico.Online @sitepsicoonline

Psico Online - Psicólogas e Psicólogos 24 horas rápido, fácil e descomplicado. Psicologia Online para acolhimento psicológico. Somos uma plataforma de acolhimento psicológico 24 horas, ligando clientes e psicos, de maneira fácil e descomplicada. Reunimos profissionais da Psicologia, psicólogas e psicólogos, que oferecem orientação psicológica a fim de facilitar o acesso de pessoas que buscam auxílio profissional psicológico, em questões emocionais, de relacionamento, profissionais, autoconhecimento e saúde mental, de forma simples e rápida.

Share
Published by
Psico.Online @sitepsicoonline

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida melhoraria. Olha, preciso dizer, isso…

3 semanas ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida como o oposto da felicidade.…

2 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles não utilizaram todo o conteúdo,…

2 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma" sem nem ao menos estar…

2 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no dia a dia — pelo…

2 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez que vi essa pergunta por…

2 meses ago

This website uses cookies.