cuide-se o tempo não para e o corpo também não

Cuide-se! Perceba os recados do seu corpo

4 min de leitura

Cuide-se: o seu dia começou.

Encontros, estudo, trabalho, amizades, paqueras, o que comer, o que beber, onde ir – nossa já estou atrasado, melhor correr – são tantas coisas para se fazer em menos de 24 horas. Ufa! Até parece que a gente é indestrutível.

Chega no fim do dia e só queremos deitar e dormir.

Algumas vezes até dá certo deitar cedo, mas aí você lembra que tem mais um monte de coisas pra resolver, um e-mail para mandar, uma mensagem da rede social para responder, aquela foto nova de quem você tá paquerando (o crush precisa de atenção, né?!) e mais um monte de coisas pendentes.

Fica aquela pergunta: como dou conta de tudo?

Ainda bem que o corpo humano é um organismo incrível. Acontece de haver umas gripes ou fraquezas aqui ou acolá, mas tá tudo bem, certo? Certo!

Nesse fuzuê de “pré-ocupações”, planejamentos e pensamentos, você já parou pra observar e sentir seu corpo?

Isso, exatamente nessa ordem: observar e sentir o seu corpo. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

cansaço, transformação, renascimento

O cansaço extremo e uma reflexão necessária

1 min de leitura

Hoje a gente vai compartilhar um texto, que fala sobre um “sintoma” que muita gente vem sentido, o tal do cansaço extremo, aquele cansaço que é mais que físico, parece que está na alma, no coração, na atmosfera, mas queremos que você saiba que o importante é manter a calma, está tudo bem e logo tudo passará.

Ah, uma última dica antes da leitura. O processo terapêutico, com psicólogo, psicóloga, coach, terapeuta… pode te ajudar muito a passar com mais tranquilidade por essa fase que temos vivido 😉

Boa leitura

Você está cansado? Está tudo bem!

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

aprovação, busca por aprovação, pintinhos diferentes

A constante (e angustiante) busca por aprovação

4 min de leitura

Semana passada parece que caiu na minha cabeça uma tempestade de situações que me fizeram repensar a tal da busca por aprovação. Começou na segunda e foi terminar só na sexta, depois de um exaustivo dia, que culminou numa enxaqueca daquelas dignas de medicação na veia.

Vou compartilhar algumas lições dessa semana com você 😉

Minha semana seria bastante cansativa porque além de pacientes, casa e estudos pra dar conta, havia um simpósio logo ali, no final da semana, onde eu apresentaria meu primeiro trabalho em outra língua e como não bastasse, eu carregava um sentimento de precisar fazer tudo ser impecável, de não poder falhar, de ser a melhor (sinto isso constantemente e acho que as vezes é bom, mas as vezes a gente perde a mão).

Passei a semana dormindo no máximo 5 horas por noite, afinal era muita coisa pra fazer e eu precisava dar conta, com 100% de eficácia comprovada. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

what_a_long_day____by_poisonunic Ofertamos aquilo que recebemos

Nós só recebemos aquilo que ofertamos

3 min de leitura

Dar para receber ou receber aquilo que ofertamos. O mundo anda muito conturbado, cheio de violência, dor e sofrimentos diversos; é para se pensar, não é?

Todos nós temos acompanhado uma avalanche de tristes e trágicas notícias relacionadas aos diversos tipos de desgraças, as quais nos afetam diretamente e nos tornam pessoas menos complacentes, compreensivas e tolerantes.

Por este motivo, ficamos inflexíveis às diferenças e colocamos nossos interesses, problemas e vontades sempre à frente, esquecendo que compartilhamos um espaço, um mundo, nada é tão nosso nesta vida, nesta Terra e quando daqui partirmos, também nada levaremos.

Muitas vezes esquecemos que ninguém é tão auto-suficiente que não necessite do outro por algum motivo. Por isso precisamos entender que para recebermos algo de bom precisamos nos doar também.

Ofertamos ao outro aquilo que pretendemos para nós.

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

pai, paternidade, papai

Pai precisa ser pai

1 min de leitura

Dia desses eu estava lendo umas coisas sobre paternidade, igualdade de gênero, família moderna e comecei a pensar em como ainda temos um longo caminho pela frente pra chegar a luz do fim do túnel, onde pai e mãe tem papeis fundamentais e de igual valor na criação dos filhos.

Pensei em como é importante a gente falar sobre isso, incentivar as pessoas a buscarem atualização nessa questão da maternidade e da paternidade, na questão da ajuda mútua, que não sobrecarrega ninguém e não torna responsável só um dos lados.

Precisamos discutir que mães são mães e pais precisam ser pais. Que não é ajudar, é fazer a parte que lhe cabe, é mais que pagar pensão ou trocar uma fralda de vez em quando. É ser pai! (mais…)

Você vai gostar de ler também:

hiv aids, preconceito, estigma, soropositivo

HIV aids: 7 coisas que você precisa saber

5 min de leitura

Há algum tempo atrás o diagnóstico de HIV era considerado uma “pena de morte”, mas graças aos avanços nos tratamentos, hoje essa realidade é bem diferente.

É possível ter uma vida praticamente normal se a pessoa que vive com HIV se cuidar e seguir a terapia antirretroviral direitinho. A expectativa de vida de um paciente que começa a tratar-se aos 20 anos, por exemplo, pode chegar a 78 anos, o que está muito parecido com a expectativa de vida da população em geral.

Os tratamentos mais avançados possibilitaram também que, homens e mulheres que vivem com HIV tenham o vírus quase indetectável, o que significa que os níveis do vírus no sangue são muito baixos e que a carga viral não pode ser medida e a transmissão fica praticamente nula.

Mas apesar desses grandes avanços, existem muitas ideias erradas acerca do VIH e da aids. Para mudar isso e acabar com os estigmas que hoje acabam sendo um “efeito colateral” do vírus, vamos apresentar 7 coisas que as pessoas que vicem com o HIV querem que o mundo saiba. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

A tomada de consciência é apenas o início da jornada e o roteiro cabe a nós definir e acabar com a nossa própria resistência.

Autoconhecimento: superando a resistência à mudanças

2 min de leitura

A vida seria bem mais simples se  a compreensão da nossa parcela de responsabilidade sobre os problemas fosse suficiente para promover mudanças em nossa resistência.

De início, pode parecer que descobrir que somos responsáveis por parte de nossas queixas e dificuldades é um problema de fácil solução – afinal de contas, “quem melhor do que eu para resolver meus próprios problemas?”

Na maior parte das vezes, porém, essa constatação chega como um banho de água fria – “a culpa é minha” – e o resultado é a paralisação: nós travamos e não conseguimos sair do lugar.

Um dos motivos porque isso acontece envolve a resistência à mudanças; temos uma tendência a nos acomodar e a nos acostumar ao modo como as coisas estão, criamos hábitos e rotinas e, quando surge a necessidade de mudar a nossa perspectiva ou o nosso comportamento, preferimos deixar tudo como está e evitar pensar a respeito.

O que muitas vezes foge a nossa compreensão, no entanto, é que hábitos e rotinas têm prazo de validade e se não os atualizarmos, eles caducam, começam a atrapalhar nosso dia-a-dia, provocam emoções negativas e impulsionam a pensamentos distorcidos e decisões ruins. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

sucesso profissional, paraquedas, auge, pulo de paraquedas, desafio

Sucesso profissional e o que fazer depois do auge

2 min de leitura

Ontem eu estava assistindo um vídeo da Jout Jout, que falava sobre o peso do sucesso profissional e imediatamente me veio uma cascata de recordações e revisões sobre a minha carreira e eu quero compartilhar com você.

Se tem uma coisa da qual me orgulho muito é, sem dúvida, da minha trajetória profissional.

Não foi fácil ou tampouco simples viver da psicologia clínica, passei muito perrengue atendendo convênio, trabalhando aos sábados ou até tarde da noite, mas eu tinha um objetivo e ele não era pequeno.

Eu queria antes dos 30 anos ter um consultório na Avenida Paulista, atender executivos e não trabalhar às sextas-feiras.

(mais…)

Respeito é aquilo que nós merecemos. Mas você sabe o que é respeito?

2 min de leitura

“Respeito é bom e eu gosto” e está na boca de todo mundo. Exige-se! Mas do que é que gostamos tanto? Você já pensou alguma vez ” a respeito”?

Há poucos dias fizemos uma postagem no Instagram (@psico.online) que afirmava que “Custa R$ 0 tratar os outros com respeito” e logo embaixo fizemos uma pergunta: o que é respeito?

Esperamos algumas opiniões que sugeriram que é tratar aos outros como gostaríamos de ser tratados ou talvez não fazer aos outros aquilo que não gostaríamos que fizessem conosco. Tem um pouco de diferença nessas frases, mas vamos deixar para outro post. Mas, embora envolva o assunto, não achamos que seja essa a melhor definição para o assunto.

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

viver, viver é perigoso, guimarães rosa, riscos, desafios, depressão, tristeza

Viver é perigoso

6 min de leitura

Chegou uma questão da Caixa de Segredos. Uma questão que muito me chamou a atenção, despertando grande interesse em responder à leitora, pois o potencial para autorrealização e a força que essa pessoa demonstrou quando confiou ao Blog seu sofrimento, é digno de atenção e um exemplo de coragem a ser seguido…

O questionamento relata uma profunda tristeza e incompreensão que se sente na leitura; é de uma tristeza persistente, invasiva, que dói na alma; uma tristeza que não encontra palavras para expressá-la, palavras para fazer as pessoas ao redor compreenderem a profundidade dessa dor; uma condição que traz cansaço, solidão, perda do prazer em atividades que, em outros momentos, traziam contentamento. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

autocrítica no psicoonline

3 dicas para lidar com a autocrítica ou quando o vilão somos nós

4 min de leitura

Autocrítica: Lembra daqueles desenhos onde havia um anjinho e um diabinho nos ombros de uma pessoa, que ficavam opinando sobre o que ela deveria fazer? Pois é mais ou menos o que acontece em nossa cabeça quando nos auto avaliamos: o anjinho pode ser encarado como uma avaliação construtiva que nos impulsiona à mudança, já o diabinho é aquela avaliação destrutiva, que te diminui e não dá espaço para mudanças, quando damos atenção a esse diabinho ele domina o espaço e podemos ter sérios problemas!

3 dicas para lidar com a autocrítica

Você já se pegou lembrando alguma atitude e analisando-a se perguntou: será que foi o certo a ser feito? Depois de pensar e repensar questionou: será que foi boa ou ruim e, se deveria repeti-las ou não.

Esse processo chama-se autocrítica e é de extrema importância para nossas vidas, afinal é ela, que nos ajuda a conviver melhor em sociedade, alcançar nossas metas e aprimorar nossas competências.

Embora esse processo tão importante possa se tornar um problema e nos paralisar, isso só acontece quando passamos a nos julgar com crueldade e nos sentimos culpados pelos erros cometidos (que nem sempre são graves) como se fossem imperdoáveis.

Essa atitude, excessivamente autocrítica, costuma nos desestimular a concluir algum desejo ou sonho, ao mesmo tempo que nos cobra de alcançá-lo, o que aumenta ainda mais a angústia desse processo.

Não percebemos que estamos exagerando e continuamos nesse ciclo, achando sempre que podíamos ter sido melhores ou ter feito diferente, aumentando dia-após-dia nossa cobrança e sofrimento, por isso é muito importante identificar esse problema.

Conhecendo o que a autocrítica pode fazer, podemos mudar isso, fazendo com que ela se torne algo saudável, vamos conferir?

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

13 reasons why, hannah baker, clay, suicídio, cvv, bullying

13 Reasons Why e 13 reflexões sobre a série

6 min de leitura

Oi. Aqui não é a Hannah Baker. Não precisa ajustar… opa, peraí, precisa ajustar, sim. Seria muito bom se você pudesse se permitir ajustar algumas ideias à respeito de bullying, suicídio, relações familiares, amizades, empatia…

[SPOILER ALERT] não tem como não dar alguns spoilers durante nossas 13 reflexões, mas são pequeninos ok? 🙂

A primeira informação que tive sobre “13 Reasons Why” era de que se tratava de uma série sobre jovens deprimidos, a segunda, de que as ligações para o CVV haviam dobrado e a terceira, de que eles estavam no trendtopic do Twitter. Ok, confesso que não sou adepta das séries, porque não tenho maturidade suficiente pra administrar o tempo e quero assistir tudo de uma vez só, mas se a gente quer falar de um assunto, precisa entender a fundo do que se trata e lá fui eu pra minha maratona de 13 episódios num final de semana. Ao final, retorcida no sofá com a cena do suicídio, comecei a refletir sobre tudo o que eu havia aprendido a partir das histórias e das pessoas que as compunham.

Vamos as 13 reflexões que eu cheguei:

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

A persistência da violeta

Persistência é a planta que deve ser regada

2 min de leitura

Persistência, essa é a palavra deste texto. Sabe qual o motivo? Por persistência. Precisamos regá-la como tudo que é difícil de “pegar”.

Na minha terra, tem plantas que pegam fácil.
“Planta isso que vai pegar” diz a fulana na rodinha de conversa.
Faz isso ou faz aquilo.
Umas opiniões são boas e outras nem tanto.

“Ah, essa não vai pegar…” mas, tem outras plantas que não “pegam” nem com santa benzedeira. A persistência é uma dessas, que pegam, mas que você tem que trabalhar muito a terra para provar para fulana que ela estava errada.

Na verdade, persistência. Provar para si.

(mais…)

Você vai gostar de ler também: