Arquivo da categoria: Depressão

Depressão

13 reasons why, hannah baker, clay, suicídio, cvv, bullying

13 Reasons Why e 13 reflexões sobre a série

6 min de leitura

Oi. Aqui não é a Hannah Baker. Não precisa ajustar… opa, peraí, precisa ajustar, sim. Seria muito bom se você pudesse se permitir ajustar algumas ideias à respeito de bullying, suicídio, relações familiares, amizades, empatia…

[SPOILER ALERT] não tem como não dar alguns spoilers durante nossas 13 reflexões, mas são pequeninos ok? 🙂

A primeira informação que tive sobre “13 Reasons Why” era de que se tratava de uma série sobre jovens deprimidos, a segunda, de que as ligações para o CVV haviam dobrado e a terceira, de que eles estavam no trendtopic do Twitter. Ok, confesso que não sou adepta das séries, porque não tenho maturidade suficiente pra administrar o tempo e quero assistir tudo de uma vez só, mas se a gente quer falar de um assunto, precisa entender a fundo do que se trata e lá fui eu pra minha maratona de 13 episódios num final de semana. Ao final, retorcida no sofá com a cena do suicídio, comecei a refletir sobre tudo o que eu havia aprendido a partir das histórias e das pessoas que as compunham.

Vamos as 13 reflexões que eu cheguei:

Continue lendo

rótulos, rótulo nas pessoas, estereótipos, diagnóstico, rotular

Os rótulos nossos de cada dia

2 min de leitura

Depressão, ansiedade, TOC, hipocondria… rótulos que dão nome aos nossos sintomas, rótulos que nos apropriamos para explicar e justificar nosso mal-estar. Mas por que a gente age assim, se sabemos que somos muito mais do que isso?

Quando os pacientes vem diagnosticados, com rótulos nas testas

Em consultório, muitas vezes, a novidade é quando recebemos um paciente sem diagnóstico prévio ou mesmo sem uma enxurrada de informações que ele mesmo buscou no Google e que fielmente assumiu como uma verdade absoluta. Alguns chegam com o nome da doença, outros já com a solução, outros com a receita de medicamentos que valha-me Deus, parece uma lista de supermercado. Continue lendo

Eeyore e o mundo sem cores da depressão

Mundo sem cores, falando de depressão

2 min de leitura

Um mundo sem cores: um quarto escuro, uma manhã cinzenta de Domingo, um resfriado muito forte que não se sente gosto de nada que se come, dor no corpo e uma televisão com muito chiado e sem conseguir entender ou ver nada que está sendo transmitido, existem dias que é melhor nem levantar – prazer, eu sou a depressão. Continue lendo

quando as coisas parecem não ter sentido, pessoa triste, pessoa na janela, vida sem sentido

Quando as coisas parecem não ter sentido algum

1 min de leitura

Geralmente, quando as coisas parecem não ter sentido algum, a gente se sente perdida, triste, irritada e é preciso um bocadinho de calma para que consigamos devolver o sentido nos eixos.

Nós recebemos uma Caixa de Segredos de alguém com muito pouca idade, dizendo que se sente muita angustiada, que tem tido muitos problemas e que seus pensamentos andam bastante negativos. Diz ainda que está difícil encontrar alguém que a entenda e que geralmente sofre muitos julgamentos e que não está sabendo lidar com tudo isso. Continue lendo

tristeza, triste, divertidamente, luto, dor, sofrimento, emoção, sentimento

Tristeza e o direito de sentí-la

1 min de leitura

Quando alguém que nos é importante está triste, a resposta típica da sociedade é dizer, “tudo ficará bem”. Isso, acreditamos, deixa menor a percepção negativa da situação. Dessa forma acreditamos que a pessoa pode reduzir sua tristeza a um nível que possibilite uma saída emocional positiva.

Porém, pesquisas recentes mostram que diminuir excessivamente a negatividade de uma situação pode ser contraproducente. Continue lendo

mindfulness, depressão, ansiedade, descentramento, terapia alternativa

Mindfulness no tratamento da depressão e da ansiedade

4 min de leitura

# mindfulness, depressão ansiedade, descentramento

A sintomatologia depressiva e ansiosa tem importantes implicações no funcionamento das atividades de vida diárias e na qualidade de vida das pessoas. Os sintomas depressivos se caracterizam por um estado de ânimo depressivo, agitação ou letargia, fadiga, insônia ou hipersonia, sentimentos de inutilidade ou culpa excessivos, diminuição da capacidade para concentra-se, desesperança e pensamentos recorrentes de morte.

Os sintomas ansiosos por sua vez se caracterizam por um estado de antecipação à uma ameaça futura e seus sintomas são a incapacidade para baixar o estado de alerta, cansaço, dificuldade para pegar no sono ou para mantê-lo, tensão muscular, irritabilidade e dificuldade para controlar a preocupação que atua como ameaça (APA, 2013). Continue lendo

me arrependi de ter filho, arrependimento, maternidade, paternidade, criação, bebê, criança, rejeição

Me arrependi de ter filho e agora?

2 min de leitura

Me arrependi de ter filho e a sociedade me julga por isso, não é verdade?

Quantas pessoas eu já ouvi, dizendo que a maternidade não foi bem o que se esperava, que depois do nascimento havia uma insegurança e um arrependimento indescritíveis, mas essas falas, são quase feitas como num confessionário, porque não se pode falar isso, quase nem se pode pensar, não é mesmo? Continue lendo

cancer de mama, câncer, mastologista, mama, peito, prevenção, dia mundial contra cancer de mama

Câncer de mama e os benefícios do tratamento psicológico

4 min de leitura

Hoje, 19 de outubro, celebra-se o Dia Mundial contra o câncer de mama, uma data em que se recorda o compromisso de toda a sociedade na luta contra esse tipo de câncer.

O câncer de mama é o tipo mais frequente entre as mulheres. A Organização Mundial da Saúde (OMS), alerta que sua incidência está aumentando no mundo devido a maior esperança de vida, oo aumento da urbanização e a adoção de modos ocidentais de viver.

No Brasil são cerca de 57000 novos casos de câncer de mama aparecendo ao ano (INCA).

Continue lendo

luxuria, pecado capital, desejo, sexualidade, energia

Luxúria e seus efeitos negativos

1 min de leitura

A luxúria é a energia contaminada e usada pelos sentimentos negativos e pelo egoísmo para dominar e seduzir o outro.

A luxúria é um desvio do poder erótico, cuja força tem potencial revigorante quando bem usado. Ela é muito ampla e é a rainha deste mundo. Ela quer fazer do outro o seu escravo.

As filhas da luxúria são muitas, mas dentre elas está a possessividade e o ciúme, bem como todos os joguinhos de sedução e poder.

Continue lendo

trauma, tragédia, atentado, 11 de setembro, catástrofe, transtorno de estresse pós traumático

Por que o trauma do 11 de setembro ainda vive?

2 min de leitura

A tragédia de 11 de Setembro aconteceu há 15 anos, mas se você já era nascido nessa época, certamente vai se lembrar onde estava, o que fazia e o trauma que foi ver a cena das torres sendo atacadas e centenas de pessoas perdendo a vida.

O 11 de Setembro ainda está vivo em nossa memória. Agora imagine na memória e vida de quem passou isso na pele. Muitas dessas pessoas que sobreviveram à tragédia, carregam consigo o trauma, a dor física, psíquica e emocional de uma situação caótica, violenta e ameaçadora.

Mas por que não conseguimos esquecer uma situação traumática?

Continue lendo

Setembro Amarelo e Suicídio: Falar é a melhor solução

7 min de leitura

O amarelo do Setembro Amarelo, campanha encabeçada pelo CVV serve como um Alerta.

É um pedido de atenção para a prevenção do suicídio.

Serve principalmente para dizer que é possível prevenir: percebendo a dor do outro, nos ouvindo mais e ouvindo aos outros, dando espaço para falar abertamente sobre a prevenção e as consequências do suicídio, ou você acredita que é um problema só do outro?

Já tratamos do assunto aqui no Psico.Online algumas vezes, inclusive falando de Suicídio Infantil e na Adolescência e postando um documentário sobre o tabú que é falar de suicídio e hoje, além do post da campanha, trazemos o link novo da cartilha: Suicídio – informando para previnir do Conselho Federal de Medicina.

Continue lendo

Gosto de um garoto, mas ele não quer nada comigo, namoro, rejeição, solidão, termino de namoro

Gosto de um garoto, mas ele não quer nada comigo

1 min de leitura

Gosto de um garoto, mas ele não quer nada comigo. Quem nunca?

Nessa semana temos recebido algumas questões bastante interessantes na Caixa de Segredos e essa foi uma delas.

A pessoa que nos escreveu ainda tem pouca idade, diz estar em depressão por conta dessa “rejeição”, por não conseguir esquecê-lo, mas a real é que a gente cresce e as vezes continua com esse sofrimento aí. Continue lendo

tristeza, depressão, jovem depressivo, adolescente com depressão, pessoa sofrendo

Tristeza, depressão ou algo obscuro dentro de mim

1 min de leitura

Mais uma Caixa de Segredos e essa me deixou bastante tocada. Me fez enxergar tristeza, depressão, sentimentos bastante negativos escorrendo pela tela. Fiquei preocupada, pois parece que ninguém percebe esse indivíduo pedindo socorro.

E quantas vezes a gente não vê isso acontecendo?

Gente que acha que depressão é frescura, que é só querer que você consegue ficar bem. Que falta vontade, inclusive gente dentro da nossa própria casa! Continue lendo

depressão infantil, criança triste, tristeza, criança deprimida

Depressão infantil

3 min de leitura

Depressão não é só coisa de adulto. A depressão infantil também é uma realidade e faz muitas crianças sofrerem. Na infância a depressão vem acompanhada além da tristeza, de uma série de sintomas, como mudanças bruscas de humor, birras por qualquer motivo, alto nível de ansiedade e outras coisas mais.

Diferença entre depressão infantil e tristeza

A depressão infantil é uma desordem caracterizada por uma alteração no estado de ânimo, alterações identificadas na escola, em casa e na comunidade, mas é preciso saber identificar quando há uma depressão e quando a criança está somente triste, porque muitas vezes podem estar tristes, como os adultos e isso não significa que estejam deprimidas.

Para afirmar que está verdadeiramente deprimida, essa criança precisará passar por um médico, que a identifique corretamente. A criança deverá estar muito triste, apresentar uma série de alterações que se notam no colégio, entre os amigos, com os pais e em todo lugar, por um período relativamente longo. Uma criança deprimida passa o dia todo triste, deixa de fazer suas atividades, perde o apetite, fica apática…

A depressão poderá se apresentar em 3 níveis, de acordo com o tempo e os sintomas: leve, moderada ou grave. E é preciso saber também, que os sintomas variam de acordo com a idade.

Em que idade as crianças podem apresentar sintomas depressivos?

Não existem dados exatos à respeito de prevalência de depressão em crianças, mas podemos identificar algo como entre 1 e 3% entre a primeira infância. É verdade que podemos ver muitas crianças tristes, mas não necessariamente deprimidas e é exatamente aí que se precisa ter cuidado. Já entre os pré-adolescentes a taxa aumenta um pouco e varia entre 3 e 9%, visto que estão passando pela puberdade e por algumas mudanças bastante significativas.

Principais sintomas da depressão infantil

A depressão infantil apresenta as mesmas características que a dos adultos, mas com algumas diferenças quanto a expressão.

  • A duração deve ser de no mínimo duas semanas e não pode estar associada ao uso de nenhuma substância.
    • Humor deprimido: as crianças e os adolescentes, podem apresentar um estado de ânimo deprimido ou irritado. Os menores geralmente não são capazes de descrever como se sentem e então queixam-se de sintomas físicos imprecisos, tem uma triste expressão facial, escassa comunicação visual. A irritação pode se manifestar em condutas agressivas ou ações que demonstrem hostilidade ou raiva. Nos adolescentes os transtornos de ânimo são mais parecidos com os dos adultos.
    • Perda de interesse no ambiente, incapacidade para desfrutar de atividades rotineiras, na escola, com os amigos ou em casa.
    • Falta de energia: não brinca, não quer ir à escola, em casa está sempre desanimado, não fala…
    • Perda de confiança e autostima, sentimentos de inferioridade.
    • Auto-desvalorização: nas crianças podemos perceber sentimentos de culpa excessiva ou inapropriada.
    • Ideias autodestrutivas: tanto nas crianças como nos adolescentes se podem observar sinais não verbais de condutas suicidas, como realizar ações em que corre riscos, as vezes, como se fosse um jogo, ou adotar comportamentos auto-lesivos, como cortar-se, bater-se ou arranhar-se.
    • Incapacidade para concentrar-se ou tomar decisões, que no caso das crianças se traduz em problemas de conduta ou baixo rendimento escolar.
    • Atividade psicomotora agitada o inibida.
    • Alterações de sono.
    • Variações de peso (nas crianças geralmente ocorre aumento).
    • Queixas somáticas (dor de cabeça, barriga, pernas…). Este critério é bastante frequente nas crianças menores.

Ao menor sinal de depressão infantil, procure ajuda, vá ao psicólogo, psiquiatra e ajude a criança a reencontrar o bem-estar 😉

Referências
Depresión Infantil
La depresión infantil