automutilação - cortes no corpo

Fazer cortes no corpo? Precisamos falar sobre isso.

6 min de leitura

Você está fazendo cortes no corpo ou já fez? O que significa quando uma pessoa corta a própria pele, por espontânea vontade?

Quando estamos manuseando uma faca na cozinha, no preparo de alimentos, ou utilizando um estilete para apontar um lápis, por exemplo, e nos cortamos involuntariamente, a dor causada pelo ferimento condiciona a sermos cada vez mais cuidadosos ao manipular esses objetos cortantes. Se, para a maioria das pessoas, o medo do ferimento com uma lâmina provoca tantos cuidados, por que então existem outras que se cortam propositalmente?

Seria uma busca desenfreada por adrenalina fazer esses cortes no corpo?

Seria por um estranho prazer em sentir dor através de se cortar?

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

incentivo, amigo, amizade, briga de amigo

O que fazer quando não vem o incentivo dos amigos?

2 min de leitura

Incentivo: Diante de uma mudança importante em sua vida, atire a primeira pedra quem nunca esperou uma palavra de incentivo e apoio de um amigo, de um colega ou de pessoas que por muito ou por pouco tempo foram consideradas “quase” uma família.

Como lidar com a situação quando isso não acontece e o incentivo não vem?

Não adianta fingir que não está sentindo nada, pois ignorar provavelmente aumentará a sensação de desconforto.

Melhor admitir e tentar compreender que a sua voz interna clama por este tipo de atenção. Será a voz da criança, adolescente ou será a voz da pessoa mais madura que habita em você?

Se ainda persistir um pensamento do tipo “considerava fulano tão próximo”. Por que ele não me deu uma palavrinha de incentivo?

Vale fazer uma outra pergunta: Será que fulano nutria o mesmo sentimento por você? (mais…)

como superar o bullying, bullying

Como superar o bullying? Aprendendo a lidar

0 min de leitura

Semana passada a gente já falou sobre bullying aqui, mas daí encontramos esse vídeo e achamos tão fofo que decidimos repetir o assunto. Além de ser uma maneira de entender como superar o bullying

Lembre-se bullying é cisa séria, precisa ser identificado, enfrentado e cuidado.

Esses garotos dão um show de enfrentamento, vem ver

Como superar o bullying – Bars & Melody

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

bullying

Como saber se meu filho sofre bullying?

2 min de leitura

Bullying: saiba se o seu filho é uma vítima deste tipo de violência.

Devemos sempre estar atentos as brincadeiras que são iniciadas com alguém que sofre bullying.

Deixei pra lá, achei que seria melhor levar na esportiva quando me chamavam de tampinha, ou até mesmo anão, afinal se contrariar uma brincadeira parece que arranjam cada vez mais nomes mirabolantes pela minha baixa estatura. Mas aí os dias passavam e então, em todos os intervalos da escola me faziam sentir mal, ansioso, com dor de barriga, com medo de sair da sala de aula e aquilo não passava de jeito nenhum. Quando vi, no momento que minha mãe me deixava na porta da escola, todos os dias pareciam ser um pesadelo ter que entrar lá e lembrar-se de todos aqueles apelidos que me obrigavam a lembrar do quanto eu odiava ser baixinho.

Tais episódios são mais normais do que imaginamos em todas as escolas, e se caracterizam por grupos de pessoas que acabam escolhendo atributos físicos de uma pessoa, como algo a ser zombado, afinal, ser diferente é errado, é considerado algo anormal para a sociedade, devemos seguir um padrão. E devido a tal conceito, criam-se apelidos maldosos para as pessoas. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

cuide-se o tempo não para e o corpo também não

Cuide-se! Perceba os recados do seu corpo

4 min de leitura

Cuide-se: o seu dia começou.

Encontros, estudo, trabalho, amizades, paqueras, o que comer, o que beber, onde ir – nossa já estou atrasado, melhor correr – são tantas coisas para se fazer em menos de 24 horas. Ufa! Até parece que a gente é indestrutível.

Chega no fim do dia e só queremos deitar e dormir.

Algumas vezes até dá certo deitar cedo, mas aí você lembra que tem mais um monte de coisas pra resolver, um e-mail para mandar, uma mensagem da rede social para responder, aquela foto nova de quem você tá paquerando (o crush precisa de atenção, né?!) e mais um monte de coisas pendentes.

Fica aquela pergunta: como dou conta de tudo?

Ainda bem que o corpo humano é um organismo incrível. Acontece de haver umas gripes ou fraquezas aqui ou acolá, mas tá tudo bem, certo? Certo!

Nesse fuzuê de “pré-ocupações”, planejamentos e pensamentos, você já parou pra observar e sentir seu corpo?

Isso, exatamente nessa ordem: observar e sentir o seu corpo. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

a autonomia do empoderamento

Uma questão de autonomia. O empoderamento é real?

3 min de leitura

Me pego refletindo sobre a autonomia e o poder que ela exerce em nossas vidas e como a falta dela pode ter muitas consequências e me pergunto, até que ponto realmente nos empoderamos da Autonomia?

Em minha experiência como psicoterapeuta percebo que quando a pessoa se dá conta que tudo é uma questão de escolha, há um certo espanto e temor, pois parece que não lhe é permitido ou é estranho ter o poder das escolhas e se responsabilizar pelos seus atos.

Claro, acredito que tudo isso se deva ao fato de que a todo o momento somos reforçados a endereçar a responsabilidade a terceiros, sempre estamos de certa forma nos reportando a alguém, uma sociedade, uma moral e a responsabilização de algo fluir ou não, pode ser ao Governo, a Deus, aos pais, ao psicólogo… (mais…)

Você vai gostar de ler também:

hiv aids, preconceito, estigma, soropositivo

HIV aids: 7 coisas que você precisa saber

5 min de leitura

Há algum tempo atrás o diagnóstico de HIV era considerado uma “pena de morte”, mas graças aos avanços nos tratamentos, hoje essa realidade é bem diferente.

É possível ter uma vida praticamente normal se a pessoa que vive com HIV se cuidar e seguir a terapia antirretroviral direitinho. A expectativa de vida de um paciente que começa a tratar-se aos 20 anos, por exemplo, pode chegar a 78 anos, o que está muito parecido com a expectativa de vida da população em geral.

Os tratamentos mais avançados possibilitaram também que, homens e mulheres que vivem com HIV tenham o vírus quase indetectável, o que significa que os níveis do vírus no sangue são muito baixos e que a carga viral não pode ser medida e a transmissão fica praticamente nula.

Mas apesar desses grandes avanços, existem muitas ideias erradas acerca do VIH e da aids. Para mudar isso e acabar com os estigmas que hoje acabam sendo um “efeito colateral” do vírus, vamos apresentar 7 coisas que as pessoas que vicem com o HIV querem que o mundo saiba. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

psicoonline autoajuda auto ajuda auto-ajuda

E a autoajuda, será que funciona?

3 min de leitura

A autoajuda realmente ajuda? Você já se sentiu encurralado em alguma situação e buscou um livro ou material para ajudar? Diante de tantas ofertas teve dúvidas na hora de escolher este material?

Hoje em dia encontramos uma grande quantidade de opções dos denominados “Autoajuda”, as ofertas são muitas e são vários os canais que disponibilizam estas informações. Não estão apenas nos livros, podem ser apresentadas para o público de diversas formas, tais como: internet (sites e blogs), vídeos, revistas, áudios, artigos, livros e incluo também materiais de apoio entregues em alguns workshops, palestras e vivências. Os temas costumam ser separados por público alvo (de acordo com a idade, sexo, profissão, grau de escolaridade, interesses etc.) ou temas ou mais generalistas.

Funciona ou não funciona a autoajuda afinal?

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

controle, arrependimento, mudança, dúvida

Controle? Reagimos sem querer e agora?

2 min de leitura

Uma das grandes queixas que as pessoas possuem é sobre o fato de conseguir controlar-se ou não. Situações acontecem em nossas vidas e nos deixam fora de controle.

Temos comportamentos de irritação, mau humor, choro e, por vezes, de extremo nervosismo. Estes comportamentos podem ser externalizados de maneira desastrosa, atingindo pessoas que não tem relação com o fato da nossa instabilidade.

Observo muitas pessoas fazendo alguma das afirmações como: “eu gostaria de dedicar mais tempo para os estudos, mas não consigo e acabo estudando somente nas vésperas das avaliações”; “eu queria ser menos ciumento, mas não consigo”; “não consigo me controlar no trânsito”; “demorar na fila do supermercado me deixa extremamente irritado”. (mais…)

Você vai gostar de ler também:

proatividade, multitarefa, pro ativo, excesso, várias funções

Proatividade, multitarefa e outras cositas más

4 min de leitura

Você até pode ser aquela pessoa com a proatividade a mil, que sai tomando decisões, fazendo e acontecendo por onde passa, mas cuidado para não ser um multitarefa frustrado, ok? Para que isso não aconteça, vamos compartilhar com você algumas informações interessantes.

Primeiro queremos saber. Com que frequência você usa o celular, o tablet e o notebook ao mesmo tempo? Aposto que sua resposta excede uma única vez. Tem sido incrível que a gente desempenhe tantas funções ao mesmo tempo, não? Isso é tão bem visto pelas empresas. MAS…

Isso pode gerar alguns problemas, sabia?

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

introvertido, introversão

Introvertido e suas habilidades fantásticas

0 min de leitura

Numa sociedade que prega cada vez mais a socialização, a importância dos grupos e a extroversão, ser introvertido é quase um pecado capital, mas você sabia que a introversão também carrega incríveis características e que se ela for respeitada pode, inclusive, produzir resultados incríveis na sociedade?

As pessoas introvertidas costumam sofrer bastante, pois constantemente são incentivadas a interagir e a agir de maneira que a elas é muito custoso. Então, hoje a gente trouxe esse vídeo, pra você saber que essas pessoas tem habilidades e talentos incríveis e deveriam ser incentivadas a a celebrá-los.  (mais…)

Você vai gostar de ler também:

autocrítica no psicoonline

3 dicas para lidar com a autocrítica ou quando o vilão somos nós

4 min de leitura

Autocrítica: Lembra daqueles desenhos onde havia um anjinho e um diabinho nos ombros de uma pessoa, que ficavam opinando sobre o que ela deveria fazer? Pois é mais ou menos o que acontece em nossa cabeça quando nos auto avaliamos: o anjinho pode ser encarado como uma avaliação construtiva que nos impulsiona à mudança, já o diabinho é aquela avaliação destrutiva, que te diminui e não dá espaço para mudanças, quando damos atenção a esse diabinho ele domina o espaço e podemos ter sérios problemas!

3 dicas para lidar com a autocrítica

Você já se pegou lembrando alguma atitude e analisando-a se perguntou: será que foi o certo a ser feito? Depois de pensar e repensar questionou: será que foi boa ou ruim e, se deveria repeti-las ou não.

Esse processo chama-se autocrítica e é de extrema importância para nossas vidas, afinal é ela, que nos ajuda a conviver melhor em sociedade, alcançar nossas metas e aprimorar nossas competências.

Embora esse processo tão importante possa se tornar um problema e nos paralisar, isso só acontece quando passamos a nos julgar com crueldade e nos sentimos culpados pelos erros cometidos (que nem sempre são graves) como se fossem imperdoáveis.

Essa atitude, excessivamente autocrítica, costuma nos desestimular a concluir algum desejo ou sonho, ao mesmo tempo que nos cobra de alcançá-lo, o que aumenta ainda mais a angústia desse processo.

Não percebemos que estamos exagerando e continuamos nesse ciclo, achando sempre que podíamos ter sido melhores ou ter feito diferente, aumentando dia-após-dia nossa cobrança e sofrimento, por isso é muito importante identificar esse problema.

Conhecendo o que a autocrítica pode fazer, podemos mudar isso, fazendo com que ela se torne algo saudável, vamos conferir?

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

13 reasons why, hannah baker, clay, suicídio, cvv, bullying

13 Reasons Why e 13 reflexões sobre a série

6 min de leitura

Oi. Aqui não é a Hannah Baker. Não precisa ajustar… opa, peraí, precisa ajustar, sim. Seria muito bom se você pudesse se permitir ajustar algumas ideias à respeito de bullying, suicídio, relações familiares, amizades, empatia…

[SPOILER ALERT] não tem como não dar alguns spoilers durante nossas 13 reflexões, mas são pequeninos ok? 🙂

A primeira informação que tive sobre “13 Reasons Why” era de que se tratava de uma série sobre jovens deprimidos, a segunda, de que as ligações para o CVV haviam dobrado e a terceira, de que eles estavam no trendtopic do Twitter. Ok, confesso que não sou adepta das séries, porque não tenho maturidade suficiente pra administrar o tempo e quero assistir tudo de uma vez só, mas se a gente quer falar de um assunto, precisa entender a fundo do que se trata e lá fui eu pra minha maratona de 13 episódios num final de semana. Ao final, retorcida no sofá com a cena do suicídio, comecei a refletir sobre tudo o que eu havia aprendido a partir das histórias e das pessoas que as compunham.

Vamos as 13 reflexões que eu cheguei:

(mais…)

Você vai gostar de ler também:

saúde e bem estar psico.online

Saúde é o que interessa, para todo resto, não devemos ter pressa.

2 min de leitura

Saúde: Ao olhar à minha volta , percebo que maioria das pessoas leva uma vida bastante atribulada e corrida, repleta de obrigações e compromissos a serem cumpridos.

Tais compromissos demandam tempo e dedicação excessiva, resultando em um grande desgaste físico e mental que transformam todo nosso funcionamento psíquico e fisiológico.

Há muita gana para chegar até algum lugar, focando sempre na aquisição de bens que satisfazem um desejo momentâneo no qual nem sempre conseguimos identificar um fundamento e que, se  concretizamos, devemos questionar:  tal desejo nos fará felizes?

Queremos tanto ter e ser alguma coisa que neste processo desenfreado, acabamos perdendo o foco e a atenção à nossa saúde — física e também a mental.

Percebo que fica cada dia mais comum não priorizarmos o autocuidado e a nossa saúde por não conseguirmos dar conta da carga excessiva que carregamos, devido às exigências.

Exigências essas que em nada contribuem para nosso estado de bem estar e, nem permitem que tenhamos qualidade de vida, porque na rotina cheia de compromissos, não conseguimos priorizar o que realmente importa: a nossa saúde geral.

Precisamos tomar consciência de que a busca do equilíbrio entre o corpo e a mente nos beneficiará, para que levemos uma vida mais plena e satisfatória. (mais…)

Você vai gostar de ler também: