Anúncio

Autossabotagem – Não a deixe paralisar sua vida!

5
(3)
4 min de leitura · 

Autossabotagem: Você sonha grande, quer ir além e conquistar diversos objetivos, mas sente que nunca consegue concluir nada com relação àqueles sonhos e sempre acaba fazendo algo que te leva para o caminho oposto dos seus desejos? Talvez isso ocorra porque você está se autossabotando!

Se nunca ouviu falar sobre isso aqui vai uma explicação simples: a autossabotagem é o processo de atrapalhar nossos objetivos, por meio de comportamentos e/ou pensamentos negativos e limitantes.

Há pessoas que fazem isso com frequência e nem percebem, outras já sabem que são os principais “inimigos” de seus objetivos, mas fingem não ver.

O problema de não ter essa consciência, ou fingir não ver esse comportamento autodestrutivo é que a pessoa se mantém em um ciclo de grande motivação seguido pela frustração da falha, que geralmente fere sua autoestima, gerando insegurança e medos.

É importante mudar esse comportamento para se permitir conquistar o que quer, mas isso não é uma tarefa fácil, principalmente quando envolvem pensamentos autodestrutivos.

Para te ajudar com isso separei abaixo algumas etapas importantes para começar a mudança e para tornar mais claro usarei o exemplo de Anne (personagem fictício).

Anne tem uma coleção de motos e decidiu se desfazer delas por não ter mais dinheiro, tempo e saúde para cuidar de todas, mas toda vez que tenta vender uma moto acaba desistindo.

1) Pare de se julgar

Antes de mudar quaisquer comportamentos na sua vida, sejam eles autodestrutivos ou não, é preciso avaliar como você se julga, se é bom consigo, pois nada pode ser iniciado enquanto você se tratar indevidamente.

Você deve aprender a silenciar a voz interna que te desmotiva e deprecia e, para isso, precisa mudar seu diálogo interno. Abrir mão do seu autojulgamento e soltar o chicote que usa para se ferir a cada erro cometido, como se fosse um carrasco.

Um bom jeito de começar a enfraquecer seu carrasco interno é tratando-se bem, avalie: “Eu deixaria outra pessoa falar comigo da mesma forma que eu estou falando?”, se a reposta for negativa ESTÁ NA HORA DE MUDAR!

Entenda que você é seu melhor amigo e deve, no mínimo, tratar-se como você trata a pessoa que mais gosta na vida!

Ex.: Se a Anne ficar se julgando por gastar tanto tempo e dinheiro com as motos, ficará paralisada se sentindo estúpida, com pena de si mesma e sem forças para fazer qualquer mudança.

2) Perceba quando e como você se sabota

Avalie em quais momentos você está se sabotando e como está fazendo isso, essa observação é importante para trazer clareza em onde você está falhando.

Ex.: Toda vez que está finalizando a negociação de venda Anne pensa coisas como: “Tenho muito apego a essa!”, “Preciso fazer a manutenção, não posso entregar para outra pessoa no estado em que está”, “Ainda não andei muito com ela, depois eu anuncio novamente”.

Perceba que Anne entende a necessidade de se livrar das motos, consegue dar início ao objetivo de vender, mas na hora de finalizar encontra desculpas para voltar atrás. Sua autossabotagem começa na hora da entrega da moto e ela faz isso por meio de desculpas sobre o que ainda precisa ser feito.

Algumas pessoas terão dificuldades na hora de se programar ou de dar o primeiro passo em direção ao objetivo, darão diversas desculpas disfarçadas de motivos, cada um a sua maneira inventará um jeito de ir em direção oposta ao objetivo final.

3) Entenda qual o motivo da autossabotagem

Por mais que não pareça, sempre há um ganho secundário e é ele que motiva a autossabotagem, pode ser se manter na zona de conforto, evitar algum confronto e diversos outros, irá depender muito de cada situação.

Encontrar esse ganho secundário permitirá você entender seu comportamento e mudar a percepção inconsciente de que está ganhando ao se sabotar.

Ex.: Anne acredita que as motos a tornam uma mulher mais interessante e aventureira, ao avaliar esse conceito percebeu que pouco se aventura, pois passa muito tempo resolvendo os problemas das motos e, também por isso, quase não tem tempo para sair e ter assunto com os amigos. No fim, as motos mais atrapalham do que ajudam.

 4) Aceite que está se sabotando e trace rotas de mudança

É como dizem “o primeiro passo é aceitar”, perceba que ser uma pessoa autossabotadora não te torna inferior e nem diminui quem você é.

Após aceitar que você é assim, terá mais tempo para descobrir como mudar isso e aí deverá traçar caminhos que te tirem do autoboicote.

Esse é um processo de tentativa e erro, será preciso testar as ideias que você tiver e ver como funcionam na realidade.

Ex.: Ao aceitar que é autosabotadora Anne parou de se enganar e lutar contra isso, o que deu mais energia para encontrar soluções. Como identificou sua forma de autossabotagem passou a tentar jeitos de não desistir da venda, descobriu que para ela funcionava envolver uma agência de vendas, assim ela não conseguia mais desistir pois já havia firmado um compromisso.

 

Lembre-se: Parar de se sabotar pode levar tempo e necessita grande dedicação, mas vale a pena e te permite construir a melhor versão de você e sua vida! Se você já está atuando na mudança, respeite seu tempo, reconheça e comemore cada conquista.

O quanto este post foi útil para você?

Debora de Barros Paschoal

CRP 06/126.802 - Formada em psicologia pela Universidade Paulista, co-fundadora do Teramor, projeto que visa apoiar mulheres que experienciaram relacionamentos abusivos, estimulando o empoderamento e amor próprio. Sigo a abordagem fenomenológica existencial, por isso meu foco é na compreensão da existência de cada um baseando em suas vivências e convicções. Com isso consigo te ajudar a encontrar o sentido das coisas e de sua vida, consequentemente você encontra as possíveis soluções para suas questões e problemas. Entendo que cada ser Humano é único e deve ser tratado como tal, por isso não há receita pronta para resolver os problemas, é uma construção e estou aqui para te ajudar no processo! Telefone/Whatsapp: 11 9.3300-9142 Fale com esta Psico.Online https://meupsicoonline.com.br/psicologa-debora-barros

Leave a Comment

View Comments

Share
Published by
Debora de Barros Paschoal

Recent Posts

Informação e imaginação na nossa ansiedade

Informação e imaginação tem ações concretas na nossa ansiedade? O quanto nossas informações e o…

1 mês ago

Vão se os anéis, ficam-se os dedos

Cá com meus botões, pensando, enquanto procuro uma entrevista de Noam Chomsky, onde ele fala…

2 meses ago

Criticar o outro, fala mais sobre você.

"Nós não vemos as coisas como elas são, nós as vemos como somos ", disse…

3 meses ago

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

5 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

6 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

6 meses ago

This website uses cookies.