mergulho profundo psico online

Auto-conhecimento: um mergulho profundo

Vamos mergulhar no tema do auto-conhecimento?

Atualmente vivemos em um mundo onde o superficial é que mais nos agrada, ou seja, entrar em contato com você mesmo, entender seus medos e anseios é totalmente sem importância. Mas porque isso está acontecendo? Qual a dificuldade em se conhecer?

Porque se conhecer significa ir fundo. Busque o auto-conhecimento!

Imagine um oceano, é muito mais confiável viver na superfície, onde você está em uma posição agradável, onde você pode respirar tranquilamente, mas ao mergulhar fundo, você descobrirá belezas nunca vistas, sentirá a ansiedade por estar no desconhecido e ao mesmo tempo, respirar já não será tão simples, exigirá auxílio e poderá ser desconfortável. E quanto mais fundo você for, mais a emoção da descoberta e o medo tomarão conta de você.

“Onde abundam as dores brotam os licores.”
Sigmund Freud

Assim somos nós! Podemos viver na superfície, onde agimos e sentimos como “se deve”, sempre fazemos o esperado e não entramos em contato com nossos sentimentos mais profundos, podemos viver evitando essa dor, mas se você está disposto a mergulhar, se conhecer verdadeiramente e ver o que está além de um reflexo, pode doer e com certeza doerá! Mas veja bem, você enxergará tudo de outra forma.

Este é um processo que requer ajuda, por isso, a importância da psicoterapia, ela pode ser seu cilindro de oxigênio neste mergulho. Procure um psicólogo e embarque nesta jornada! As belezas das profundezas são as mais raras e desconhecidas e as mais deslumbrantes!

Veja também:

Clique para votar
[Total: 0 Average: 0]

Psicóloga CRP 04/30145 formada em 2008 pela PUC Minas. Pós Graduada em Gestão de Recursos Humanos. Vasta experiência em Psicoterapia Analítica e Psicologia Educacional, atuando em Clínicas e Escolas.

8 comentários em “Auto-conhecimento: um mergulho profundo”

  1. Rodrigo Estevão

    Muito bom o seu texto, Bárbara. Continue escrevendo e semeando pérolas em meio ao caos que a vida pode se tornar quando não ousamos nos conhecer e nos auto sabotamos.

    Um forte abraço,

    Rodrigo Estevão

Gostaríamos de escutar o que você tem a dizer.

Rolar para cima