Anúncio

A verdade nossa de cada dia

0
(0)
1 min de leitura · 

Acredite naqueles que buscam a verdade, duvide daqueles que a encontraram – André Gide

Quantas histórias ultrajantes foram justificadas com base em (supostas) verdades. Essa construção de pensamento é como opinião, todos temos uma. É certo que, ao falar sobre a verdade, parece que damos ainda mais importância a algo que não deixa de ser um conceito baseado em muitas suposições, vieses e, inclusive, opiniões.

Mas a verdade é perigosa. É uma bandeira que se levanta e se defende por parte de quem não quer deixar entrar nada de diferente em suas vidas, territórios, espaços.

A verdade é a base das religiões, crenças e tantas outras formas de enxergar o mundo e tudo o que temos, e cremos ser absolutamente corretos.

Este conceito absoluto, mas por vezes totalmente indefinido, se pode aplicar a praticamente qualquer âmbito. Desde o mais inofensivo até o mais perigoso. Está baseado em juízos. Na suposição de que a minha visão de mundo é a correta. E que devo tentar convencer – no melhor dos cenários -, ou submeter – no outro extremo -, a quem não a aceite.

Defender a bandeira da verdade pode fazer com que muitas pessoas se submetam à minha razão. Conceitos como o “bem comum”, a “justiça”, e muitos outros alimentam esse processo, mas confessamos que, para nós, ter essas “verdades” convertidas em bandeiras, perde todo o significado.

Porque o que queremos é que  a nossa verdade NÃO prevaleça, porque o mais valioso nesse conceito é o processo de busca e não o achado.

Esse processo é individual, poucas vezes fácil de compartilhar. A verdade e a sua busca formam parte de nossa intimidade. E, ainda que a gente possa compartilhar e coincidir em determinados achados, sempre teremos a nossa própria razão, mas que no fim das contas é isso, é a NOSSA própria razão, não tem que ser a sua.

O diálogo, o debate, a reflexão compartilhada é o que temos de mais valioso. A verdade, minha ou sua, é só um produto. E podemos chegar a verdades compartilhadas, um momento único, fugaz. E que rapidamente perece.

Pense nisso. Não aceite verdades prontas e nem obrigue os outros a aceitarem a sua.

Retirado de Cámbiate (traduzido e adaptado)

O quanto este post foi útil para você?

Psico.Online

Psico Online - Psicólogas e Psicólogos 24 horas rápido, fácil e descomplicado. Psicologia Online para acolhimento psicológico. Somos uma plataforma de acolhimento psicológico 24 horas, ligando clientes e psicos, de maneira fácil e descomplicada. Reunimos profissionais da Psicologia, psicólogas e psicólogos, que oferecem orientação psicológica a fim de facilitar o acesso de pessoas que buscam auxílio profissional psicológico, em questões emocionais, de relacionamento, profissionais, autoconhecimento e saúde mental, de forma simples e rápida.

Share
Published by
Psico.Online

Recent Posts

Quando paramos de nos preocupar com os outros…

Quando paramos de nos preocupar com os outros, a primeira vista, idealizamos que nossa vida…

2 meses ago

Infelicidade: me apeguei a ela e agora?

Infelicidade é a palavra felicidade com o prefixo de privação ou negação. Pode ser compreendida…

3 meses ago

Masturbação Infantil: não fique na mão com o assunto.

Esses dias respondi algumas perguntas sobre Masturbação Infantil para o site bebe.com.br e, como eles…

3 meses ago

E quando sobra pra gente?

"Sobra pra gente" o que sobrou pra você ou para mim? Quem nunca levou "uma"…

3 meses ago

Escutar, ouvir e falar. O que você tem feito?

Ouvir ou escutar remete a ações muito parecidas. Muita gente sabe a diferença, mas no…

3 meses ago

Será que eu sou gay?

Gay, homosexual, será que meu interesse sexual é assim ou assado? Lembro da primeira vez…

3 meses ago

This website uses cookies.