mexer no celular, desconfiar do namorado

Posso mexer no celular do meu namorado?

2 min de leitura

Que atire a primeira pedra quem nunca sentiu vontade de mexer no celular do namorado ou da namorada 😀

Pois é, eu sei que pelo menos uma vez na vida a maioria das pessoas tem esse desejo, praticamente incontrolável. Alguns me perguntam se isso é certo ou se eu acho que o parceiro ou parceira negar de mostrar o aparelho, significa que existe traição.

Se existe ou não eu não sei, o que eu sei que existe aí é um conjunto de fatores que não fazem bem a ninguém e muito menos à relação.

Clique e fale com um Psicóloga Online agoraExiste uma coisa chamada privacidade, que a gente precisa respeitar. Não é porque não quero te dar minha senha ou mostrar minhas mensagens, que tô fazendo algo de errado. Tem conversas que a gente tem com algumas pessoas, que envolvem piadas e que a interpretação disso por quem está de fora pode ser catastrófica, por exemplo.

Tem conversas que envolvem desabafos e que da mesma maneira podem ser muito mal interpretados. Veja, não é porque tô reclamando que a namorado ronca que não quero mais estar com ele, mas se ele ler isso, será que vai entender?

Outra história clássica de desconfiança é quando começamos a nos questionar se nosso par é fiel. Se quando sai sem você é capaz de não olhar para os lados e nem flertar com outros olhos. Já reparou como isso corrói seu fígado e te faz tão mal?

Agora me diz, por que é que você não sente segurança na relação? Como é que anda a sua autoestima? E o seu amor próprio, tá bem, em dia?

Leiam também : 10 dicas para melhorar sua autoestima

É preciso amar-se e acreditar em si para viver uma relação saudável. É preciso estabelecer um elo de confiança com seu par para que ninguém adoeça.

Agora, é claro que existem os casos em que você sabe que o par te trai ou que ele não é o que você queria, mas você segue lá, sofrendo e aceitando tudo isso. Pergunte-se o que te faz permanecer nessa relação que te maltrata.

Olhe para si e reveja o que você busca, o que tem recebido e o que dá.

Por fim, lembre-se de que temos uma vida além dos nossos pares e isso é extremamente importante e SAUDÁVEL. Fechar-se numa bolha, impedir o outro de sair sem você, controlar as conversas não faz com que o amor aumente, muito pelo contrário, aliás.

Se perceber-se desvalorizada, presa, com a autoestima baixa, procure ajuda profissional, a psicoterapia te ajuda a olhar pra você e a se reconstruir, a ressignificar crenças e conceitos. Não exite!

Você vai gostar de ler também:

Raquel Ferreira
CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Participe, queremos ler o que você tem a dizer