má, maldade, pessoa maldosa, malvado, manipulador, manipulação

Percebi que sou uma pessoa má e agora?

2 min de leitura · 

Começo a fazer terapia, sigo semana após semana descobrindo coisas sobre mim que nunca nem imaginei. Uma reflexão aqui, outra acolá e eis que me descubro uma pessoa má.

Calma, eu vou explicar.

Descubro que sou uma pessoa manipuladora, egoísta ou malvada mesmo, dessas que gostam de provocar dor no outro.

Entro em pânico, apesar de não perceber o mal que causei até hoje, enxerga-lo no espelho me assusta. Me faz sentir até um pouco de vergonha. Afinal, como pude ser assim por toda uma vida e ninguém me falou nada?

Clique e fale com um Psicóloga Online agoraOu será que falou? É, talvez tenham tentado me alertar, mas eu não dei atenção. Estava no meu pequeno mundo, onde tudo, a princípio, parecia perfeito.

E agora? Como é que sigo a vida desse jeito? Sabendo que sou esse ser que não está tão cheio de luz como imaginava?

O relato acima é fictício, mas pode estar na voz e na vida de qualquer pessoa que decide se abrir, se enxergar e evoluir.

Acontece que quando nos damos conta de nossos aspectos negativos podemos sentir medo, pânico até, mas isso não é o fim. Afinal de contas, se você decidiu se abrir e encarar seus monstros, pode doma-los , evoluir e ser uma pessoinha cada vez melhor.

Não se desespere se descobrir algo ruim a seu próprio respeito, o processo terapêutico tem começo, meio e “fim”, ou seja, você se abre, descobre coisas e ressignifica elas. Não é fácil, eu sei, mas é lindo e transformador e é de dentro pra fora.

Permita-se abraçar essas “maldades”, muitas vezes elas surgem do sofrimento pelo qual passamos e tudo o que precisamos é de perdão, amor, acolhimento. Se você odiar suas sombras, elas crescem e ficam ainda maiores, mas se você abraça-las elas se encolhem, murcham, até quase desaparecerem.

Leiam também: Terapia é só para loucos?

Não tenha medo e nem vergonha de um dia ter causado o mal, mas não queira permanecer dentro dele. Olhe cada vez mais para dentro, para você, deseje e faça o que for possível para mudar essa história.

Ninguém precisa manipular, oprimir ou obrigar para ser feliz, para conquistar o que deseja ou para ser amado.

E se você compreender a essência disso tudo, tenho a absoluta certeza de que poderá mudar sua própria história e se orgulhar do que vê no espelho e sente no coração.

Se você nunca fez terapia, nunca conversou com um psicólogo, permita-se esse processo agora. Também tenho certeza de que não vai se arrepender 😉

O quanto este post foi útil para você?

Clique nos corações para votar!

Média / 5. Contagem de Votos:

Sentimos muito por este post não ter sido útil para você.

Nos diga como melhorar as postagens

Raquel Ferreira

CRP 6/101759 - Graduada pela Universidade São Francisco, mestre em Ciências da Saúde pela Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado de São Paulo. Psicóloga clínica desde 2010, busca constante aprimoramento na abordagem analítica. Estudou Cinesiologia no Instituto Sedes Sapientiae, frequentou grupos de estudo e supervisão teórica na Sociedade Brasileira de Psicologia Analítica de São Paulo e ainda, integrou o grupo de Neurociências do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. Atualmente é doutoranda em Psicologia Social, pela Universidad Complutense de Madrid.

Participe, queremos ler o que você tem a dizer