hipnose na vida real - Psico.Online - Psicóloga Marta Fontes CRP 19/2734

Hipnose na vida real – conheça essa prática

6 min de leitura · 

Hipnose, vamos conhecer o conceito?

A hipnose é um estado emocional intensificado obtido através da absorção da atenção focada, no qual a pessoa experimenta um estado alterado de consciência. Mas como assim?

Nessa condição física a mente consciente (aquele momento que você está atento e concentrado como agora) é conduzida a reduzir as inquietações e diminuir gradativamente os “ruídos” (quase como aquele momento que você está pegando no sono), possibilitando e oportunizando o acesso aos recursos da mente inconsciente (aquilo que está em sua mente e que não se deu conta).

Onde tudo começou?

Tudo começou, pelo menos pelos relatos de estados hipnóticos, nos primórdios dos tempos e em todas as culturas, sobretudo nos rituais de proteção, cura ou mesmo com cunho religioso (quando um grupo, por exemplo, entra em transe durante uma sessão ritual). Essa hipnose era então conhecida como ritualística ou mística.

Mas muita coisa aconteceu e veio a clínica.

Com a hipnose clínica o objetivo central é contribuir com o tratamento do paciente, buscando diminuir sintomas, evitar ou mesmo curar doenças e traumas.

De Relegada a aliada

A hipnose assim como a hipnoterapia (voltada ao tratamento clínico) sempre foi e continua sendo alvo de críticas, especulações, mitos e preconceitos.

No meio acadêmico, na Psicologia mais precisamente, é relegada e muitas vezes tratada de forma pejorativa e subestimada.

Acha-se que o hipnoterapeuta tem uma visão e metodologia simplista que sabe apenas colocar em transe (isso quando acreditam que isso é possível).

Contrariando essa visão, ao estudarmos hipnoterapia aprendemos sobre modos de compreender o paciente e  lidar de forma rápida e eficaz com os conflitos e traumas emocionais.

Além do que foi dito acima, é importante ressaltar que hipnose foi reconhecida e validada como ferramenta complementar pelo Conselho  Federal de Psicologia desde 1971.  sendo então vista como um recurso técnico capaz de contribuir nas resoluções de problemas físicos e psicológicos.

Trata-se, pois, de uma importante ferramenta para a psicoterapia, entrando como aliada ao conhecimento acadêmico formal.

E claro, também sendo aplicada em diversas outras áreas da saúde como medicina, odontologia, fisioterapia e educação.

E você sabe quais são os principais tipos?

  • HIPNOSE RITUALÍSTICA – usada como recurso para contribuir com rituais místicos e religiosos.
  • HIPNOSE CLÁSSICA – o hipnotizador dá comandos de forma diretiva (feita de fora para dentro).
  • HIPNOSE DE PALCO – utilizada para entretenimento.
  • HIPNOSE CONDICIONATIVA – utiliza o sono terapêutico de forma progressiva, no qual são trabalhados os bloqueios de registros mentais negativos.
  • HIPNOSE NATURALISTA OU ERICKSONIANA (a qual me deterei daqui para frente) – o hipnoterapeuta conduz o transe através de sugestões diretas e indiretas, o paciente entra então em transe de dentro para fora.

Como acontece a hipnose?

Utiliza-se técnicas de hipnose e o que paciente está vivendo no momento.

Inclua-se aquilo que ele está sentindo através dos seus pontos sensoriais (5 sentidos lembra: fato, olfato, tato, paladar e audição?

Por exemplo:  concentra-se o ar que entra e sai a cada respiração, sentindo os pés apoiados ao chão.

O que está ouvindo (o som do ar condicionado..), estimulando ainda a visualização através da imaginação (um lugar confortável para você, uma cachoeira com águas límpidas e mornas)

Tudo conduzindo ao relaxamento e ao transe.

O objetivo, nesse momento é intensificar as capacidades que cada um de nós possui, colocando então em cena a solução para o objetivo terapêutico a ser trabalhado.

E claro, para isso haverá uma variedade enorme de possibilidades, pois cada indivíduo trará a sua sensação e o que está passando.

A Hipnose Ericksoniana

A Hipnose Ericksoniana foi criada e desenvolvida pelo psiquiatra e psicólogo Milton H. Erickson.

Considerado um gênio por criar recursos terapêuticos inovadores e inusitados, tendo como base que a psicoterapia não deveria se pautar apenas em uma forma de fazer, limitada e repetitiva.

Erickson afirmava que a terapia deveria ser feita sob medida para cada paciente.

Ele utilizava para tanto de histórias, metáforas, anedotas e do próprio sintoma ou queixa trazidos pelo paciente, voltando-se para a solução e não para o problema.

Pressuposto Básico Da Hipnose Ericksoniana

O grande pressuposto da hipnose Ericksoniana é que cada um de nós possui dentro de si os recursos e capacidades que precisa.

Sendo a hipnose uma forma de acessar esses recursos e capacidades.

E quais os principais tratamentos?

A hipnoterapia tem contribuído grandemente como aliada no processo psicoterápico auxiliando a tratar casos como:

Mitos, Medos e Equívocos

Agora, vamos compreender quais são os principais Mitos, Medos e Equívocos que são divulgados por aí sobre a hipnose.

Será que você conhecia algum?

  • Não retornar do transe: não há o menor perigo de isso acontecer, uma cessada a indução o paciente retornará a seu estado de vigília, o que difere é tempo, uns voltam mais lentamente e outros de pronto.
  • Não ter controle dos próprios atos: apesar de haver um relaxamento, e um estado alterado de consciência a pessoa não fica inconsciente, tendo lucidez para decidir o que é ou não pertinente.
  • O hipnotizador tem poder de influenciar os pensamentos e sentimentos: o hipnoterapeuta conseguirá influenciar apenas na proporção que tiver a permissão do paciente.
  • Somente algumas pessoas podem ser hipnotizadas: todos nós somos hipnotizáveis o  que varia é o grau e a intensidade.
  • Quem entra em transe é porque tem mente fraca: todos nós entramos em transe espontaneamente no nosso dia a dia (ao assistir TV, ao viajar mentalmente) e não tem a ver com mente forte ou fraca, a mesma coisa vale para hipnose.
  • Hipnose é prejudicial a saúde: o intuito da hipnose clínica é favorecer a saúde e o bem-estar não sendo assim prejudicial a saúde.
  • É uma rebeldia contra religião: hipnose e religião são coisas distintas, sendo que a primeira não é usada para dissuadir a segunda.
  • Hipnotizabilidade é idiotice: a hipnose é um recurso validado e bem avaliado.
  • Hipnose é charlatanice: como dito acima ela tem sua eficácia validada e comprovada.
  • A hipnose é capaz de realizar milagres: apesar de ser uma importante ferramenta terapêuticas ela tem seus limites e de forma alguma se propõe a realizar milagres ou algo que o valha.

Apesar de envolta em preconceitos e mitos a hipnoterapia vem se mostrando uma importante aliada para o bem-estar pessoal, subsidiando não apenas nos processos psicoterapicos, mas também em outras áreas da saúde.

A hipnose Ericksoniana tem seu foco voltado para a solução, acreditando ainda que cada ser humano tem dentro de si recursos e capacidades que se são inerentes e estão desacreditadas, vindo a hipnose a fortalecê-las e virem a tona.

A terapia é única para um único cliente, construída para as necessidades e situações daquele sujeito(ERICKSON, 1980)

Você vai gostar de ler também:

Marta Fraga Fontes
Psicóloga
CRP 19/2734 - Formação em Hipnose Ericksoniana e Psicoterapia Breve
Atuação em Centro Especializado em Reabilitação (CER-ll/ APAE-Aracaju)
Whatsapp (79) 98811-6664
Marta Fraga Fontes on EmailMarta Fraga Fontes on FacebookMarta Fraga Fontes on Wordpress

Marta Fraga Fontes

CRP 19/2734 - Formação em Hipnose Ericksoniana e Psicoterapia Breve Atuação em Centro Especializado em Reabilitação (CER-ll/ APAE-Aracaju) Whatsapp (79) 98811-6664

Participe, queremos ler o que você tem a dizer