Como lidar com as mentiras que as crianças contam

Como lidar com as mentiras que as crianças contam?

4 min de leitura

Quando escutamos crianças contando mentiras, logo pensamos nas mentiras que os adultos contam, ou seja, naquelas mentiras que muitas vezes relacionamos ao caráter. Porém, quando a criança conta algo que não é verdade, podemos interpretar de maneira diferente!

Você sabe porquê a maioria das crianças vão passar, ou já passaram, por momentos em que contaram mentiras?

Por exemplo, quando uma criança mente que já escovou os dentes ou que não foi ela que fez algo, muitas vezes, ela quer manter firme seus desejos, mas sem desagradar o adulto, isto é, conseguir duas coisas ao mesmo tempo, fazer o que deseja e fugir da “bronca”.

Muitas vezes a criança pode mentir por não saber verbalizar o que está acontecendo, ou por não saber lidar com seus sentimentos e atitudes, então, a mentira é a forma mais “fácil” que ela encontra para “solucionar” o problema.

A mentira também pode aparecer quando a criança tem medo dos pais ou cuidadores, quando há muito autoritarismo ou agressividade, ela é contada com a finalidade de evitar “castigos” ou “palmadas”.

É importante que os pais entendam que o mentir é um comportamento, e como qualquer outro comportamento, é aprendido!

O comportamento de mentir é mantido pelas consequências que traz à criança, ou seja, pelas vantagens ou desvantagens de dizer ou não a verdade.

Por isso, é importante que os pais utilizem algumas estratégias para lidar com as situações de mentiras.

Analisar a situação, entender os motivos reais e imaginários para que a criança tenha mentido é importante para que mais tarde possa existir um diálogo com a criança.

Essa conversa a ensinará expor seus sentimentos e comportamentos de maneira mais assertiva.

Utilizar a consequência adequada é essencial!

Muitas vezes os pais castigam e punem severamente os filhos, porém, é importante lembrar, que dependendo da idade da criança, haverá dificuldades para processar todas as informações e conciliar todos os porquês do que está acontecendo devido a sua capacidade de compreensão mesmo.

Quando a criança é punida severamente, suas emoções ficam confusas e muitas vezes faz com que a criança não aprenda nada com a situação e fique ainda mais abalada emocionalmente.

Quando se trata de mentiras, muitos pais se veem sem saída e não sabem como agir, principalmente quando a mentira já está instalada há muito tempo na vida da criança.

É importante ressaltar que é na infância que a criança entra em contato com os primeiros desafios e começa a desenvolver sua capacidade de resolver os problemas.

Quando a criança mente, precisa ser ensinada imediatamente.

Caso não seja ensinada durante a infância, possivelmente será um adulto inseguro e diante das situações de confrontos mentirá.

Mas qual a melhor maneira de lidar com as mentiras das crianças?

Quando a intenção não é punir a criança e sim educá-la, a criança entra em contato com as consequências diretas de seu próprio comportamento, por exemplo, quando uma criança mente para os pais, é interessante que eles questionem:

“Você mentiu para mim, como eu vou poder confiar em você novamente? ” ou “Quem me garante que agora você está me dizendo a verdade? ”.

A criança precisa entender que muitas vezes ela não terá controle sobre o impacto de seu comportamento no outro, ou seja, quando a mentira é contada a confiança do outro fica em jogo.

Outra estratégia – importantíssima – é a CONSTÂNCIA.

A criança precisa entender que todas as vezes que ela mentir existirá uma consequência e será corrigida.

Quando a criança entende isto, o comportamento de mentir se enfraquecerá.

Sem consistência os pais não conseguirão contribuir com a aprendizagem dos filhos de maneira positiva e efetiva.

Quando a criança tem a noção de como os pais receberão a notícia da mentira, a criança passa a se sentir mais segura ao se expressar e se abrirá com maior facilidade!

Quando a criança confia nos pais para contar algo incômodo, independente da consequência que virá, haverá uma amizade entre a criança e o adulto, a mentira ficará desinteressante e já não precisará ser contada.

Por mais difícil que seja o momento para a criança, ela entenderá que dizer a verdade sempre será a melhor alternativa!

Quando a mentira acontecer, é o momento de estar sensível à criança e se atentar ao invés de punir severamente.

É importante considerar que este momento pode estar acontecendo para que a confiança e o fortalecimento de vínculo sejam reestabelecidos.

E é claro, nenhuma dessas estratégias terá tanta eficiência se os pais não servirem de modelo para os filhos e não valorizarem quando a criança disser a verdade.

Referências:

  • SKINNER, B.F. Seleção por consequências. Revista Brasileira de Terapia  Comportamental e Cognitiva, São Paulo, v. IX, 2007.
  • SKINNER, B. F. Sobre o Behaviorismo. Editora Cultrix, São Paulo, 10ª Ed. 2006.
  • SKINNER, B. F. Verbal Behavior. Acton, Massachusetts: Copley, 1957/1992.

Você vai gostar de ler também:

Jananda Germinari Lopes Caetano
Psicóloga
Psicóloga Jananda Germinari Lopes Caetano - CRP 08/24255
Graduada pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Psicóloga Clínica, de abordagem analítica comportamental e Especializanda em Terapia Analítica Comportamental pelo Centro Universitário Filadelfia (UniFil). Atua em atendimentos psicoterapêuticos de casais e atendimentos individuais de crianças, adolescentes e adultos.
Contato: (43) 99995-0084
Jananda Germinari Lopes Caetano on FacebookJananda Germinari Lopes Caetano on Instagram

Jananda Germinari Lopes Caetano

Psicóloga Jananda Germinari Lopes Caetano - CRP 08/24255 Graduada pela Universidade Norte do Paraná (UNOPAR). Psicóloga Clínica, de abordagem analítica comportamental e Especializanda em Terapia Analítica Comportamental pelo Centro Universitário Filadelfia (UniFil). Atua em atendimentos psicoterapêuticos de casais e atendimentos individuais de crianças, adolescentes e adultos. Contato: (43) 99995-0084

Participe, queremos ler o que você tem a dizer